Pelo Pe José Júlio Rocha.

«As minhas ovelhas escutam a Minha voz: Eu conheço as Minhas ovelhas e elas seguem-Me. Eu dou-lhes a vida eterna e nunca hão de perecer, e ninguém as arrebatará da Minha mão.» (João 10, 27-28)
Não há alegria maior do que sentir que pertencemos a alguém. Não estamos sós. Viver é ser amado.
Há uma letra dos “Delfins” que canta: “Quando alguém nasce, nasce selvagem, não é de ninguém”. É um grito de liberdade e a liberdade é preciosa. Mas a ilusão da liberdade – não pertencer a ninguém – é o caminho de uma degradante solidão.
Pertencemos a Jesus e ninguém nos arrebatará da Sua mão. Ninguém é livre sozinho.
Só o Amor nos torna livres.