Pelo P.e José Júlio Rocha.

Se alguém disser: «Eu amo a Deus», mas tiver ódio ao seu irmão, esse é um mentiroso; pois aquele que não ama o seu irmão, a quem vê, não pode amar a Deus, a quem não vê. (1ª João 4, 20)
São João insiste na mesma tecla: o amor a Deus prova-se no amor ao outro. E quem é o outro? É a pergunta que o escriba fez a Jesus: “quem é o meu próximo?”. Jesus respondeu-lhe com a parábola do Bom Samaritano, um inimigo dos judeus.
“Católico” quer dizer universal. Não só universal na propagação da fé a todos os homens, mas também na universalidade do amor.
Neste sentido, o Papa Francisco é um grande farol no mundo.