Pelo Pe José Júlio Rocha.

«Não adquirais ouro, prata ou cobre, para guardardes nas vossas bolsas; nem alforge para o caminho, nem duas túnicas, nem sandálias, nem cajado.» (Mateus 10, 9-10)
Foi a ganância do homem que o levou à construção da Torre de Babel e à consequente dispersão do homem pela Terra, confuso, dividido, inimigo; é a ganância um dos grandes males do mundo de hoje, que leva, não à dispersão pela Terra, mas à sua destruição como planeta habitável.
Jesus convida-nos à pobreza: não ao miserabilismo ou à desgraça, mas a uma pobreza evangélica, isto é, considerar que nada é absolutamente nosso: os bens materiais são um meio para a felicidade e para o amor, não um fim em si mesmos.
As desigualdades brutais entre seres humanos vão contra o Evangelho. Há que reinventar um mundo novo.