Pelo Pe José Júlio Rocha.

«Vós sois o sal da Terra. Mas se ele perder a força, com que há de salgar-se?» (Mateus 5, 13)
Hoje celebramos Santo António. Em Portugal conhecemos pouco da vida dele. Apenas alguns milagres, que é o santo casamenteiro, que lhe rezamos quando arrancamos um dente ou quando perdemos alguma coisa.
Exerceu a sua atividade em Pádua e em todo o norte de Itália e sul de França, tendo sido professor na mais antiga universidade do mundo: Bolonha. Alguns dos mais belos escritos medievais sobre Nossa Senhora são dele.
Celebramos os santos porque eles são exemplos para nós. António foi sal da terra, profundo exemplo de uma fé simples e persistente.