Pelo Pe José Júlio Rocha.

«Quando deres esmola, não saiba a tua mão esquerda o que faz a tua direita.» (Mateus 6, 3)
Esta frase de Jesus tornou-se um paradigma do fazer bem. Ao mesmo tempo que define, por contraste, a hipocrisia dos que fazem ações generosas apenas para se vangloriarem, a frase elogia a verdadeira bondade, aquela que brota do coração generoso.
O termo “esmola” não significa, hoje, apenas tirar umas moedas do bolso e deitar numas mãos estendidas. É muito mais amplo: compaixão, misericórdia e solidariedade, que se manifestam por obras e não por palavras.
Há sempre alguém que precisa de nós.