Reunião de cursilhistas conta com a presença do dirigente nacional Mário Bastos

Realiza-se este domingo em Angra do Heroísmo o III Encontro Nacional de Grupo e Ultreia do Movimento dos Cursilhos de Cristandade (MCC), com a participação do dirigente nacional Mário Bastos.

Trata-se de uma atividade do MCC que visa “refletir e aprofundar a importância” destes dois esquemas de reunião do Movimento à luz do carisma fundacional dos Cursilhos, disse ao Sítio Igreja Açores Fausto Dâmaso, tesoureiro do Comité Executivo do Organismo Mundial dos Cursilhos de Cristandade, cuja presidência é assegurada por Portugal.

“Estes encontros nasceram da necessidade de ultrapassarmos algumas dificuldades que estávamos a sentir nas Reuniões de Grupo e nas Ultreias”, sublinhou o dirigente, lembrando que estes dois “métodos” de trabalho devem ser sempre desenvolvidos de acordo com os princípios do fundador.

O Encontro Nacional deste domingo, que se realiza no Seminário Episcopal de Angra do Heroísmo, entre as 8h30 e as 17h00, vai desenrolar-se em três partes: a primeira “Testemunhos e vivências” que será partilhada por Mário Bastos (Vice presidente do Secretariado Nacional do MCC); segue-se uma segunda sobre “o que é um grupo, a sua importância no movimento e como deve ser orientada uma reunião de grupo”, que ficará a cargo de Fausto Dâmaso e uma terceira parte sobre “A importância da Ultreia”, que será desenvolvida por Raquel Bastos.

Depois desta fase mais expositiva os participantes serão convidados a desenvolver trabalhos mais práticos, dentro destes dois esquemas da experiência de Grupo (reunião mais restrita e intimista, assente num principio de amizade) e de Ultreia (reunião mais alargada, com um carácter mais universal).

Haverá também uma Eucaristia e uma meditação, ambas da responsabilidade do assistente espiritual do MCC a nível diocesano, Pe Júlio Rocha.

Podem participar neste Encontro Nacional todos os cursilhistas independentemente de fazerem parte destas duas experiências.

“Basta que tenham feito um cursilho de cristandade para poderem participar. Gostaríamos que estivessem pessoas de outras ilhas e até de fora da região mas a dispersão geográfica tem estes constrangimentos”, adiantou ainda Fausto Dâmaso.

O MCC nasceu em Espanha, na década de 40, por iniciativa de uma equipa de jovens da Ação Católica, entre os quais se destaca Eduardo Bonin.

O movimento dos Cursilhos de Cristandade está presente em todos os países da América Latina e do Norte, tem uma presença “muito forte” no continente asiático e região do Pacífico e “em quase todos países da Europa” para além de estar em muitos países de África.

O Movimento dos Cursilhos de Cristandade chegou a Portugal em 1960 e o primeiro cursilho realizou-se em Fátima, de 29 de novembro a 02 de dezembro desse ano.

Nos Açores, o Movimento está há pouco mais de meio século, nas ilhas da Terceira, São Miguel e também Santa Maria e já se realizaram mais de 380 cursilhos.

Atualmente Portugal preside ao Comité Executivo do organismo Mundial dos Cursilhos de Cristandade, estando prevista para 2017, a realização de uma Ultreia Internacional em Fátima.

Os Cursos de Cristandade representam “um bem espiritual” de que beneficiam homens e mulheres e são uma resposta atual aos desafios lançados a todos os cristãos no sentido de viverem a fé de “forma concreta”, “consistente” e “esclarecida”.