D. João Lavrador emitiu um comunicado enviado ao Igreja Açores

O Bispo de Angra reagiu à morte de Monsenhor José Nunes através de um  comunicado no qual reconhece como marcas da sua personalidade a humildade, simplicidade, proximidade e grande espirito de fé e competência intelectual.

“É com profunda tristeza e reconhecimento que sentimos a partida do monsenhor José Nunes. Sacerdote humilde, simples, de grande espirito de fé e de competência intelectual, agradável no trato e sempre muito próximo e com manifesta alegria que espelhava na relação com as pessoas”, afirma o bispo de Angra no comunicado.

O prelado, que reagiu de imediato à morte do sacerdote, cuja vida sacerdotal fica ligada, a par com outras actividades pastorais, ao Seminário Episcopal, como professor de Teologia afirma  que “Foram muitas as gerações de seminaristas e de sacerdotes que usufruíram da sua leccionação, do seu testemunho sacerdotal e da sua forte espiritualidade” .

“A Diocese de Angra, Bispos, Presbíteros, Diáconos, seminaristas e Leigos que tiveram no Monsenhor José Nunes um Mestre e exemplo do Bom Pastor, Rogam ao Senhor da Vida pelo seu eterno descanso, apresentam as condolências à sua família e agradecem profundamente todo o serviço por ele prestado à diocese de Angra e à Igreja em geral”, conclui o comunicado.

O padre José Nunes, como era conhecido, faleceu esta tarde no Hospital, do Santo Espírito em Angra depois de não ter resistido a um acidente vascular cerebral na noite de terça feira. O sacerdote encontrava-se internado na referida unidade de saúde da ilha Terceira devido a problemas renais.

O seu corpo estará em câmara ardente na Capela da Natividade, no Seminário Episcopal de Angra, onde foi ordenado e onde celebrava quase diariamente e amanhã seguirá para a Sé, onde será celebrada uma missa exequial às 15h00 que será presidida pelo bispo de Angra.