Prelado ordenou o 53º sacerdote do seu episcopado

O sacerdócio “é o instrumento da misericórdia divina” que tem de ser testemunhado junto das pessoas, disse este sábado o Bispo de Angra na cerimónia de ordenação sacerdotal do diácono Eurico Caetano que se celebrou na Igreja Matriz das Capelas, na ilha de São Miguel, de onde o novo presbítero é natural.

“É assim que temos de viver o nosso ministério sacerdotal: levando misericórdia às nossas comunidades” sublinhou D. António de Sousa Braga lembrando que isso só se consegue através de uma “pastoral de proximidade”.

“Não basta fazer coisas pelas pessoas. Há que ir ao seu encontro, por-se no seu lugar; fazer como Jesus que revelou o Pai misericordioso através das suas palavras e dos seus gestos”, disse o responsável pela igreja católica nos Açores.

Numa homília centrada novamente na misericórdia, tema central das suas catequeses da Quaresma e da mensagem Pascal, e em sintonia com o Papa Francisco, que hoje apresentou a Bula que convoca o ano santo da Misericórdia, o Bispo de Angra citou o Evangelho de Mateus para frisar que os cristãos devem sempre preferir a misericórdia ao sacrificio, porque é através dela que se resgatam os que mais precisam.

“O mistério pascal é precisamente o triunfo da misericórdia do compadecer-se com o outro, interessar-se pelo outro, a começar por quem mais precisa”, diz o prelado sublinhando que neste ano santo da misericórdia, “somos ainda mais chamados a sermos como o Pai; a fazermos experiência pessoal de encontro com a misericórdia divina”.

Dirigindo-se particularmente ao jovem presbítero e também aos sacerdotes presentes nesta festa diocesana, D. António de Sousa Braga disse que a vocação “é um chamamento feito pelo Senhor” que deve ser “agradecido todos os dias”, sobretudo na Eucaristia.

Sublinhando que as comunidades precisam do testemunho dos seus padres, porque “estão feridas”, D. António de Sousa Braga insisitiu na ideia de que só se consegue transformar as comunidades “em ilhas de misericórdia” se “formos ao encontro das pessoas”.

O Bispo de Angra ordenou este sábado Eurico Décio Caetano de 31 anos, mestre em Teologia, pela Universidade Católica depois de ter inciado os seus estudos no Seminário Episcopal de Angra e ter frequentado diversos outros seminários no continente. O novo presbítero é professor de Educação Moral e Religiosa Católica na ilha das Flores, onde vai integrar a equipa sacerdotal in solidum, pelo menos até ao final deste ano pastoral.

Eurico Caetano é o mais velho de quatro irmãos – duas raparigas e dois rapazes- que durante a cerimónia,acompanhados da mãe e de outros familiares- não conseguiram conter a emoção.

“Eles viveram e experimentaram todos os passos que eu dei com avanços e recuos, quer nos momentos mais dificieis quer nos momentos de maior felicidade, viveram as minhas hesitações e, por isso, é natural que sintam uma particular emoção neste dia”, disse ao Sítio Igreja Açores o Pe Eurico Caetano.

“Foi uma batalha que travei e que só consegui vencer graças à força do chamamento que o senhor me fez e por isso hoje dou graças a Deus por ter dado mais este passo e espero que Ele me continue a dar forças para vencer os desafios futuros”, frisou.

O Pe Eurico foi “apresentado” pelo ouvidor eclesiástico das Flores, pe Davide Barcelos, que também não escondeu a sua simpatia pelo novo colega.

“Ele chegou à ouvidoria em setembro e logo mostrou ter grande capacidade de trabalho e grande dedicação pastoral”, sublinhou o sacerdote que não poupa elogios ao sentido de “proximidade, empatia e disponibilidade” do novo presbítero.

Para o ouvidor das Capelas, Pe Horácio Dutra, que acolheu esta celebração trata-se de “um momento alto da vida de toda uma comunidade que desta forma despertou não só para a importância do sacerdócio mas sobretudo para a noção de entrega e de serviço que é precio ter na igreja”.

O paróco da Matriz das Capelas, Pe Hélio Soares, destaca este momento como “um momento de dar graças por ver um paroquiano a chegar ao fim de uma caminhada que o conduz ao sacerdócio” e a forma como a comunidade “se entregou generosamente” para preparar esta celebração que teve um final feliz.

“Muitos viram o Eurico crescer espiritualmente nesta igreja e ninguém quis ficar de fora da celebração”, pontuou.

Desde 1977 que não havia uma ordenação sacerdotal na Matriz das Capelas, data em que o Bispo D. Aurélio Granada Escudeiro ordenou o Pe Constantino, dehoniano, já falecido, embora este verão a igreja tenha recebido no dia 15 de julho uma celebração comemorativa das bodas de ouro do pe António Rego.

A Eucaristia da ordenação foi concelebrada pela esmagadora maioria dos sacerdotes da ilha de São Miguel, que corresponderam a um apelo do prelado e ainda pelo ouvidor eclesiástico da ilha Terceira, Pe António Henrique Pereira, o Cónego António Rego que orientou nos últimos dias o terceiro turno de retiro do Clero, na ilha do Pico, e a equipa sacerdotal da ilha das Flores, onde o novo sacerdote serviu como diácono desde setembro.

Também estiveram presentes mais três diáconos e cinco seminaristas do Seminário Episcopal de Angra.

Sexta feira à noite houve uma Vigília de Oração pelo novo presbítero que este domingo celebra a missa nova na Matriz das Capelas às 16h00. No próximo dia 19, na Igreja das lajes, na ilha terceira, haverá igualmente uma Eucaristia de ação de graças pelo novo sacerdote.

A seguir à ordenação realizou-se um cocktail animado pelo grupo local Belaurora.

Eurico Décio Caetano será o primeiro sacerdote ordenado neste ano pastoral na Diocese de Angra. Há uma outra ordenação prevista para a Sé de Angra a 21 de junho de Pedro Aguiar, seminarista do sexto ano no Seminário Episcopal de Angra, natural das Lajes do Pico e ordenado diácono no passado dia 8 de dezembro, no Santuário de Nossa Senhora da Conceição, em Angra. Pedro Aguiar fará a sua missa nova nas Lajes, paróquia de nascimento, no dia 12 de julho.