Pe. Fábio Carvalho celebra a sua missa nova no dia 7 de julho

D. João Lavrador presidiu este domingo à ordenação de um novo sacerdote para a Diocese de Angra, na Igreja Matriz de Nossa Senhora da Estrela, na Ribeira Grande e sublinhou, na sua homilia, que um presbítero “é o homem da comunhão” porque configura a sua vida a Cristo.

“O presbítero é o homem da comunhão. Uma vez em profunda comunhão com Cristo vivida na oração, na meditação da Palavra de Deus, na experiência dos sacramentos, na ascese, na pobreza e na partilha fraterna, edifica um presbitério a viver na comunhão e torna-se testemunha de uma comunidade cristã que se edifica na comunhão e na corresponsabilidade” afirmou o bispo de Angra na homília da missa de ordenação do diácono Fábio Carvalho.

O prelado, que presidiu à sexta ordenação de um sacerdote desde que entrou na diocese em 2015, interpelou o jovem sacerdote a não ter medo.

“Embora a missão evangelizadora e a vida do presbítero, à maneira de Jesus Cristo, se revistam de alguma rejeição por parte da cultura de hoje, não tenhas medo, porque como Cristo afirma «Eu venci o mundo»”, afirmou D. João Lavrador.

“Quantos dos nossos contemporâneos se recusam a percorrer as sendas da verdadeira liberdade, aquela que nos é oferecida na comunhão com Cristo, porque têm medo das suas exigências. Preferem a mediocridade, o ritualismo e o comodismo do que viver a audácia do compromisso e do serviço gerados no amor”, disse ainda.

“A prontidão, o despojamento, a pobreza e a decisão sem reservas são outras condições para quem segue a Jesus Cristo e com Ele caminha na libertação pessoal para se colocar ao serviço da comunidade, da pessoa e da sociedade” acrescentou.

Por outro lado, pediu ao neo-sacerdote a não se conformar em ser “mais um”.

“Não queiras ser um presbítero mais, nem assumas a postura dos poderes do mundo, mas verdadeiramente o sacerdote que configurado a Jesus Cristo se oferece integralmente ao serviço de Deus e da Igreja, com a força que só o Espirito Santo poderá dar para encetares uma vida pastoral renovada e segundo as exigência da Igreja e como verdadeira resposta ao mundo de hoje”, disse o bispo de Angra.

Dirigindo-se a todos os presentes, D. João Lavrador sublinhou ainda a exigência que se coloca hoje aos sacerdotes que devem cultivar “um espirito de profundidade de comunhão com Cristo “, que “novos caminhos de vida pastoral, que incentive um dinamismo que não se amedronta perante as dificuldades” devendo ser capaz de “anunciar a verdade da Boa Nova e a denunciar toda a mentira e falsidade”.

“Com estilo de vida evangélico, o presbítero toma como condição de vida a simplicidade e a humildade de modo que os pobres e os excluídos o reconheçam como próximo e irmão”.

Depois, interpelou diretamente o neo-sacerdote, desafiando-o para um compromisso com os desafios que se avizinham na diocese: “Caro Fábio recebes a graça da tua ordenação presbiteral num tempo de fortes desafios para a Igreja diocesana e para cada uma das comunidades cristãs, a iniciar um novo estilo de ser e de evangelizar, optando por um dinamismo sinodal. Isto implica formação cristã para que cada batizado se sinta membro ativo e participante da vida da Igreja e se reconheça portador da missão evangelizadora que diz respeito a todos os discípulos de Jesus Cristo”.

O novo sacerdote, o Pe. Fábio Carvalho, é natural da Ribeira Grande, 34 anos de idade e é “um jovem amadurecido” como refere o reitor num artigo de opinião escrito aqui no Igreja Açores.

“Já amadurecido pelos 34 anos, recordo a sua entrada no Seminário, como se fossem passados poucos dias. Com grande humildade, foi-se afirmando paulatinamente através da sua generosidade, bonomia e capacidade de estabelecer pontes e cimentar amizades”, afirma o reitor do seminário de Angra, padre Hélder Miranda Alexandre em declarações ao site Igreja Açores.

“Todos apreciam a sua presença, a sua boa gargalhada e sentido de humor. Pastoralmente dedicado, é amigo fácil de quem dele se aproxima. Sabe cheirar bem as ovelhas e estar com elas”, acrescentou.

Na Nota Pastoral feita para esta ordenação, o Bispo de Angra lembra que “um sacerdote é um dos maiores dons de Deus à Sua Igreja e, por isso, deve despertar sentimentos de alegria”, mas também uma “ação mais participativa e consciente” da parte das comunidades cristãs.

O bispo de Angra desafia “as famílias, os párocos e outros sacerdotes, os catequistas, os animadores da pastoral juvenil e os movimentos apostólicos” a reforçarem o seu papel na construção e desenvolvimento de novas vocações.

O Pe. Fábio Carvalho vai celebrar a sua missa nova no próximo dia 7 de julho.