Conselheiros defendem presença de uma congregação que auxilie na formação de leigos e na catequese

O Conselho Pastoral da Ouvidoria de Fenais de Vera Cruz, na costa norte da ilha de São Miguel, alerta para a necessidade de haver uma congregação religiosa que auxilie com um apoio “mais presente na formação de leigos, nas catequeses orientando os catequistas e formando-os num sentido pedagógico”.

Numa nota enviada ao Sítio Igreja Açores esta terça feira, o ouvidor que acaba de reunir o Conselho Pastoral de Ouvidoria para delinear as estratégias para o próximo ano pastoral, lembra que é preciso apostar, também, “na criação e orientação de encontros de oração para jovens” com vista a evitar o abandono precoce da igreja por parte dos mais novos.

A ouvidoria não tem, neste momento, qualquer congregação a residir em nenhuma das paróquias do concelho, embora trabalhe de uma forma “muito estreita” com as Irmãs Doroteias, num projeto de intervenção social designado Cais de Remar, nos Fenais da Ajuda.

Esta Congregação reside no Nordeste, ouvidoria vizinha, onde já dá apoio à catequese e o “ideal seria que pudessem fazer o mesmo connosco, embora reconheça que o número de religiosas , se calhar, torna isso difícil”, sublinha o sacerdote.

O Conselho Pastoral da Ouvidoria definiu dez prioridades de ação para o próximo ano pastoral, tendo em conta as orientações diocesanas e o facto da Igreja Universal estar a viver o ano Santo da Misericórdia e a encerrar o Ano da Vida Consagrada.

Outra das prioridades é a visita da Imagem Peregrina de Nossa Senhora de Fátima à ouvidoria, o que decorrerá num contexto de festa já que a Ouvidoria assinala o seu centésimo aniversário.

Seguindo ainda as orientações do Conselho Presbiteral, a ouvidoria decidiu empenhar-se na formação às Irmandades e Mordomos dos Impérios e Domingas do Espírito Santo bem como na criação de Momentos de adoração ao Santíssimo Sacramento.

A ouvidoria está, também, particularmente empenhada em dinamizar a pastoral familiar, reorganizando alguns dos movimentos bem como a pastoral juvenil, já  que tem em marcha a comemoração do  Dia Mundial da Juventude na Maia, em conjunto com o Serviço Diocesano da Pastoral Juvenil.

“Devemos continuar na descoberta e sinalização das periferias apostando numa pastoral missionária como salienta o Papa Francisco na Exortação Apostólica EG num trabalho que tem sido feito pela Pastoral Socio-Caritativa (Cáritas)em interação com os demais movimentos das paróquias da Ouvidoria” e “Consciencializar as cinco paróquias e três curatos para a criação de uma única identidade , assente numa pastoral de unidade”, conclui a nota enviada ao Sítio Igreja Açores.