Pe. António Cartageno foi o convidado do primeiro ciclo de Tertúlias promovido pela Academia São Tomás de Aquino

O Padre António Cartageno foi o primeiro convidado pela Academia de São Tomás de Aquino, para o primeiro ciclo de tertúlia sobre música sacra e litúrgica, que se realizou no fim de semana passado no Seminário Episcopal de Angra, sede da Academia.

“A iniciativa superou todas as expectativas porque a adesão foi muito grande” referiu ao sítio Igreja Açores o seminarista Pedro Carvalho, presidente da Academia de São Tomás de Aquino.

Participaram cerca de 120 coralistas de vários coros da ilha Terceira nesta ação de formação que contou ainda com a participação do diretor do coro da Sé Patriarcal de Lisboa, Luís Filipe.

“A formação foi muito acessível tal como é a música do Pe. Cartageno, um homem simples de sorriso aberto a quem facilmente chegamos” disse ainda o responsável pela Academia.

“O Pe. António Cartageno é uma figura de referência a nível nacional e poder aprender com ele era importante.” acrescentou, ainda, Pedro Carvalho lembrando que foi “o Pe Cartageno que pôs Portugal a cantar, quando antes só se cantava em latim”.

Além da formação o Pe. António Cartageno, Diretor da Comissão Nacional e Música Sacra e fundador e diretor do Coro da Igreja do Carmo, em Beja,  regeu depois um coro composto por vários elementos dos coros da ilha que actuou num concerto na Sé de Angra, no domingo à tarde.

(Com André Furtado)