Iniciativa decorre até domingo e é coordenada pelo Secretariado Diocesano do MCC

O Secretariado Diocesano do Movimento dos Cursilhos de Cristandade (MCC) preparou a organização do primeiro Cursilho na ilha do Pico, em cerca de duas décadas. O Cursilho de homens nº 202 começou a noite passada com o acolhimento no Convento de São Pedro de Alcantara onde decorrerá até domingo  e é participado por seis picoenses a que acresce a equipa do Cursilho composta por mais sete elementos. O reitor é João Vieira, da ilha Terceira, e a equipa sacerdotal composta pelos padres Hélder Miranda Alexandre, reitor do Seminário Episcopal de Angra e Nelson Pereira, vigário paroquial da Matriz da Horta. Este cursilho é desenvolvido em simultâneo com o Cursilho de homens de São Miguel.

“Como não desenvolvemos um pré-cursilho, a participação ainda não é grande mas queremos muito que através deste movimento, que tem a sua história na ilha, consigamos alavancar a pastoral familiar no Pico” disse ao Igreja Açores o Padre Júlio Alexandre Rocha, responsável pela pastoral familiar na ouvidoria do Pico.

Na próxima semana terá lugar o Cursilho de mulheres que terá como assistentes os padres Gregório Rocha, diretor espiritual do Seminário Episcopal de Angra e Marco Martinho, ouvidor eclesiástico da ilha.

“A partir deste Cursilho queremos dinamizar a pastoral familiar numa ilha que tem poucas pessoas. A perspetiva é dar continuidade fazendo uma escola na Madalena (a escola é uma das atividades previstas no esquema operativo do Movimento dos Cursos de Cristandade) e para o ano voltar a fazer um novo cursilho aqui na ilha” acrescentou ainda o sacerdote.

Esta iniciativa conta com o especial empenho da direção diocesana do MCC e, particularmente, com elementos da ilha Terceira.

“Há muito tempo que nos pediam para realizar este Cursilho e nós finalmente conseguimos reunir todas as condições” avançou ao Igreja Açores o responsável pelo MCC, Telmo Sequeira.

O cursilho de homens (nº202), que acontece ao mesmo tempo do Cursilho do de  São Miguel (nº 2001), marca o regresso do Movimento à ilha Montanha.

“Esta semana teremos os homens e na Semana de 21 a 24 realizar-se- á o Cursilho das senhoras (nº 197)” adiantou ainda o dirigente regional do MCC, Telmo Sequeira, que em maio cessa funções, estando já escolhida uma nova direção que será anunciada em breve pelo Bispo de Angra.

Desde 1963 o  Movimento Cursilhos de Cristandade, um dos mais mobilizadores da igreja católica, já realizou mais de 390 cursilhos nos Açores, envolvendo cerca de 1.300 açorianos.

O Movimento dos Cursilhos de Cristandade já teve atividade em praticamente todas as ilhas, à exceção do Corvo onde nunca se realizaram cursilhos, mas atualmente está vivo na ilha Terceira, em São Miguel e em Santa Maria.

O movimento chegou ao nosso país em 1960 e o primeiro cursilho realizou-se em Fátima, de 29 de novembro a 2 de dezembro desse ano.

O MCC, que está nos Açores há mais de cinquenta anos, nasceu na ilha de Maiorca, em Espanha, na década de 40, pela mão de Eduardo Bonnín Aguiló.

O primeiro Cursilho da história celebrou-se em Cala Figuera de Santanyí, em Maiorca, de 19 a 22 de Agosto de 1944, usando como base o “Estudo do Ambiente” de Eduardo Bonnín que atuou com reitor levando consigo como dirigentes, José Ferragut e Jaime Riutort. Foi diretor Espiritual desse primeiro Cursilho D. Juan Juliá. Assistiram ao primeiro Cursilho 14 jovens. O MCC contou nos seus inícios, de entre outros sacerdotes, com o entusiasmo D. Sebastián Gaya (autor da “Hora Apostólica e do “Guia do Peregrino) e com a aprovação eclesial de D. Juan Hervás, que a 1 de Março de 1947 chega a Maiorca como Bispo Diocesano, batizando estes encontros em 1953 como Cursilhos de Cristandade.