O Papa nomeou hoje D. José Cordeiro como novo arcebispo de Braga, sucedendo no cargo a D. Jorge Ortiga, de 77 anos, que tinha renunciado ao atingir o limite de idade imposto pelo Direito Canónico.

O anúncio foi feito em comunicado divulgado pela Sala de Imprensa da Santa Sé e enviado à Agência ECCLESIA.

D. José Cordeiro tem 54 anos de idade e era bispo da Diocese de Bragança-Miranda desde 2011; nasceu a 29 de maio de 1967 em Angola, Vila Nova de Seles, Luanda, tendo vindo para Portugal em 1975 com a família.

O responsável foi ordenado padre a 16 de junho de 1991; até 1999 foi pároco, formador no seminário da diocese transmontana e capelão do Instituto Politécnico de Bragança, e de 1999 a 2001 frequentou o Pontifício Ateneu de Santo Anselmo, em Roma, obtendo a licenciatura em Liturgia, disciplina em que se doutorou no ano de 2004, no mesmo instituto.

O novo arcebispo foi vice-reitor do Pontifício Colégio Português, em Roma, entre 2001 e 2005, ano em que foi nomeado reitor da instituição, onde se manteve até à sua nomeação para a Diocese de Bragança-Miranda, a 18 de julho 2011, pelo Papa Bento XVI; foi ordenado bispo a 2 de outubro do mesmo ano.

Em 2004 iniciou a carreira docente no Pontifício Ateneu de Santo Anselmo.

Em maio de 2012, foi empossado como académico correspondente da Academia Internacional da Cultura Portuguesa, na qual discursou sobre o tema ‘Do Movimento Litúrgico à Reforma Litúrgica em Portugal’.

O responsável preside à Comissão Episcopal da Liturgia e Espiritualidade, da Conferência Episcopal Portuguesa (CEP); desde 2016, é membro da Congregação para o Culto Divino e a Disciplina dos Sacramentos, da Santa Sé.

Ainda na CEP, desde 2017 é vogal do Conselho Permanente; desde 2018 é delegado aos Congressos Eucarísticos Internacionais.

Em outubro, D. José Cordeiro o livro intitulado ‘Caroço de Cereja’, que reúne as homilias da Missa Crismal proferidas na Catedral de Bragança-Miranda, assinalando os seus dez anos de episcopado.

“Sempre que comia as poucas cerejas que sobravam ou não serviam para o procedimento dos frascos em calda, costumava deixar o caroço na boca para prolongar o aprazível sabor da cereja branca”, refere, no texto de abertura da publicação.

D. Jorge Ortiga tinha apresentado a sua renúncia ao Papa após completar 75 anos de idade, em março de 2019, seguindo as determinações do Direito Canónico.

O responsável vai exercer funções de administrador apostólico, para “assegurar o governo ordinário da Arquidiocese de Braga”, até à tomada de posse do seu sucessor.

Braga, como diocese, data do século III, e é uma das três arquidioceses metropolitas de Portugal (Braga, Évora e Lisboa); possui um rito litúrgico próprio (bracarense) e o arcebispo de Braga usa o título de ‘Primaz das Espanhas’.

O atual território diocesano tem 2857 quilómetros quadrados, cujos limites não coincidem com os limites civis do Distrito de Braga.

A Arquidiocese de Braga é constituída por 551 paróquias que servem aproximadamente 850 mil habitantes.

(Com ECclesia)