Pelo Pe. Hélder Miranda Alexandre

Se esta manhã te levantaste saudável, tens uma sorte melhor do que milhões de homens que morrerão nestes dias.

Se não fizeste a experiência da guerra, do isolamento na prisão, da tortura ou não sentiste as dores da fome, tens mais sorte do que 500 milhões teus semelhantes.

Se foste à Igreja sem medo, sem as ameaças da violência ou da morte, tens mais sorte do que 3 mil milhões de homens que não a têm.

Se tens um frigorífico para guardar a comida, algo para vestir, um teto sobre a cabeça e um lugar para dormir, és mais rico que 75 % dos homens da Terra.

Se tens dinheiro no banco ou na carteira pertences aos 8 % dos mais privilegiados da terra.

Se estás de férias, num barco ou num avião para os mares do Sul, pertences aos 0,5% da humanidade que nem sequer podem pensar nestas coisas.

Se estás a ler estas linhas és um homem ou uma mulher de sorte porque não pertences aos mais de 2 mil milhões que não sabe ler.

Estou farto de um Natal de pais natais e de coisas efémeras, em que muitos se fazem infantis sem serem crianças. Estou farto de um Natal de um comércio temporão. Estou farto de um Natal sem Cristo, sem Advento, sem oração, sem Missa e sem missão. Estou farto de um natal que me faz cansar…

Entretemo-nos com mitos inventados pelo império da Coca Cola. Tiramos Cristo de tudo, para o substituir por um velho de barbas, que nada pode dar senão uns poucos gestos de carinho (se tanto…), que alimentam as ilusões das nossas crianças, por vezes já muito mimadas. Que é que isso muda? Um simples brinquedo, um vestido que se oferece pode ter na sua origem umas mãos pequenas de uma criança asiática, sujas de tintas, de pés feridos, obrigada a trabalhar para receber um dólar (ou menos ainda…).

Que hipocrisia a nossa!

Um olhar assim deve-nos fazer pensar. Gratos por termos recebido como presente um mundo tão rico. Teremos ainda vontade de nos lamentarmos de coisas ridículas? Será que nasce em nós um desejo de acender uma luz diferente? Seguramente, não temos poder de dar a paz ao mundo, mas podemos fazer mais e melhor.

Bem profetizou Isaías 11, 1-5:

 

Brotará um rebento do tronco de Jessé,

e um renovo brotará das suas raízes.

2Sobre ele repousará o espírito do Senhor:

espírito de sabedoria e de entendimento,

espírito de conselho e de fortaleza,

espírito de ciência e de temor do Senhor.

3Não julgará pelas aparências nem proferirá sentenças somente pelo que ouvir dizer;

4mas julgará os pobres com justiça

e com equidade os humildes da terra;

ferirá os tiranos com os decretos da sua boca

e os maus com o sopro dos seus lábios.

5A justiça será o cinto dos seus rins,

e a lealdade circundará os seus flancos.

 

Que nos dirá o Menino Jesus?