Relíquias foram expostas durante a V Peregrinação Diocesana dos Acólitos, que se realizou no fim de semana nas Flores

A diocese de Angra foi a primeira a receber as relíquias dos novos santos da Igreja, Francisco e Jacinta Marto, que foram expostas no âmbito da V Peregrinação Diocesana de Acólitos, na qual participou, entre outros, o diretor do Serviço Nacional de Acólitos, o Pe Luís Leal.

As relíquias foram oferecidas a este Serviço pela Postulação da Causa de Canonização dos dois mais jovens santos não mártires da Igreja uma vez que  São Francisco Marto é patrono dos Acólitos.

As relíquias estiveram expostas durante a Peregrinação Nacional dos Acólitos e depois disso, a diocese de Angra é a primeira a receber esta iniciativa, por uma questão de calendário, mas também pelo tema da Peregrinação Diocesana que se centrou em Maria, a grande auxiliadora de Jesus e na Mensagem de Fátima.

“Nossa Senhora é a grande testemunha de serviço e missão dentro da Igreja e por isso deve ser um exemplo para todos” afirmou o Pe Luís Leal a quem coube fazer as conferências sobre Nossa Senhora e a Mensagem de Fátima, que completa o seu centenário este ano.

O diretor do Serviço Nacional de Acólitos, que participa desde o inicio nestes peregrinações, sublinha o esforço que o Serviço Diocesano de liturgia está a fazer e destaca o exemplo que deve constituir para outras dioceses.

“É um grande testemunho para todo o país, tendo em conta a geografia e a panorâmica de Igreja” referiu lembrando que na maior parte das dioceses nem sequer há uma peregrinação de cariz diocesano. “Não fica atrás quer em percentagem quer em qualidade”, precisou.

A VI Peregrinação diocesana de acólitos realiza-se em 2018 na ilha Graciosa.