Perceber a realidade da catequese e “tocar na ferida, mesmo que isso doa para se perceber como atuar”

O responsável pelo setor da catequese da Diocese de Angra, Pe. Jacob Vasconcelos, anunciou esta quinta-feira, à Agência ECCLESIA, que vai ser realizado, no próximo ano pastoral, naquele território, “um recenseamento” à realidade catequética nas nove ilhas.

Com pessoas especializadas na área da “estatística, sondagens e inquéritos”, o sacerdote pretende ver a realidade da catequese (catequistas e catequizandos) e “tocar na ferida, mesmo que isso doa para se perceber como atuar”, frisou à Agência ECCLESIA no encontro nacional de catequese que está a decorrer em Viana do Castelo.

Ao olhar para a realidade da catequese na Diocese de Angra, o responsável realça que “as dificuldades são similares às sentidas nas dioceses do continente,”, todavia há sempre o desafio “permanente à formação, família e comunidade cristã”, acentuou.

A Diocese de Angra é constituída por nove ilhas, mas não é “muito diferente ser catequista na Ilha do Corvo e na Ilha de São Miguel ou na Ilha da Terceira” porque as “grandes ilhas têm realidades rurais como na Ilha do Corvo”.

«Ajudar os catequistas a SER – Uma missão diocesana prioritária» é o tema desta atividade formativa que está a decorrer naquela cidade do alto Minho até sábado e onde o Pe. Jacob Vasconcelos salientou que “é fundamental adaptar as dinâmicas que os catecismos trazem a todas as comunidades, sejam elas maiores ou mais pequenas”.

Tal como nas dioceses do continente, o responsável da catequese da Diocese de Angra lamenta a dificuldade em “recrutar catequistas e arranjar pessoas que estejam vocacionadas para esta missão”.

Depois do percurso dos dez anos de catequese e com a idade na entrada na universidade, “muitos saiem da caminhada” e “fica-se com um intervalo e lacuna difícil de preencher”, afirmou o padre Jacob Vasconcelos.

Com idades diferenciadas, os catequistas da Diocese de Angra têm “muita vontade” em receberem formação, apesar de alguns, “os mais idosos serem info-excluídos”, disse.

O terceiro dia do encontro nacional de catequese que reúne cerca de 70 responsáveis diocesanos começa com uma preleção de Cristina Sá Carvalho sobre “Conhecer os destinatários da catequese e o seu contexto” e de seguida o padre José António Gonçalves fala sobre “Aprender a explorar os itinerários catequéticos e o contributo formativo dos materiais para a catequese”.

(Com Ecclesia)