Orientações diocesanas foram publicadas esta sexta-feira e serão apresentadas formalmente em setembro nas jornadas teológico-pastorais, que se realizarão entre 13 e 17 de setembro em Angra, Madalena e Ponta Delgada

O bispo de Angra desafia os diocesanos a “reedificar o tecido eclesial” das comunidades depois das “dificuldades do tempo de pandemia”. O apelo é feito na nota introdutória do documento que contém as orientações diocesanas para o ano 2021/2022, que acabam de ser disponibilizadas pela Cúria diocesana.

“Apesar dos tempos de pandemia que tanto sofrimento e dificuldades trouxeram à vida pastoral das nossas paróquias, vamos, com redobrado esforço, com todos os responsáveis cristãos das nossas paróquias, reedificar o tecido eclesial das nossas comunidades e avançar na reflexão dos temas que nos são propostos para este ano: a Igreja missionária e a Igreja Pobre com os Pobres”, escreve D. João Lavrador.

O prelado convida todos os batizados a “uma participação activa e consciente na missão da Igreja”.

“Se a única missão da Igreja é Evangelizar, então, sabemos que esta tarefa singular e única compete a todos os membros do Povo de Deus”, escreve ao sublinhar que a `caminhada sinodal´ que a diocese encetou há três anos este ano deve incorporar a reflexão da temática do Sínodo dos Bispos/2022 que versa por uma “Igreja sinodal, comunhão, participação e missão”.

“Certamente reconhecemos que esta proposta do Santo Padre não dessintoniza com a nossa reflexão de caminhada sinodal mas nos ajuda e alenta a caminhar neste objectivo a que nos propomos de edificar nas comunidades cristãs uma forma de ser em sinodalidade” conclui-se.

O documento com as orientações diocesanas tem 53 páginas onde se podem ler: o programa pastoral diocesano para o próximo ano; o programa do 3º ano da caminhada sinodal; os temas para esta caminhada; uma reflexão sobre a Jornada Mundial da Juventude; o guião para uma pastoral social paroquial, o calendário diocesano; uma oração pela caminhada sinodal e o calendário geral .