Pe. Ricardo Henriques envia carta aos sacerdotes a pedir que assinalem o Dia Mundial das Comunicações Sociais a partir da mensagem do Papa Francisco

O Diretor do Serviço Diocesano da Pastoral das Comunicações Sociais acaba de enviar uma carta a toda a diocese a lembrar a celebração do 52º Dia Mundial das Comunicações Sociais, “uma Jornada muito relevante, a assinalar com profissionais do setor e também em todas as paróquias e comunidades cristãs”.

O Pe. Ricardo Henriques que se despede fazendo “votos de uma comunicação com verdade” sublinha a importância da mensagem do Papa para este dia e pede a todas comunidades que “não esqueçam esta data”.

O Papa Francisco dedica ao tema das ‘fake news’ a sua mensagem para o 52.º Dia Mundial das Comunicações Sociais, que se assinala a 13 de maio, propondo um jornalismo ao serviço da paz e das pessoas.

O texto, divulgado pela Santa Sé a 24 de janeiro, tem como título “«A verdade vos tornará livres (Jo 8,32)». Fake news e jornalismo de paz”.

“Hoje, no contexto duma comunicação cada vez mais rápida e dentro dum sistema digital, assistimos ao fenómeno das notícias falsas, as chamadas fake news”, explica o Papa.

Francisco convida a prevenir a difusão destas notícias falsas e a “redescobrir o valor da profissão jornalística”, sublinhando a responsabilidade pessoal de cada um na “comunicação da verdade”.

O Papa desafia a um jornalismo mais centrado nas “pessoas” e apresenta o jornalista como “guardião das notícias”, alguém que “não desempenha apenas uma profissão, mas uma verdadeira missão”.

“No meio do frenesim das notícias e na voragem dos furos, [o jornalista] tem o dever de lembrar que, no centro da notícia, não estão a velocidade em comunicá-la nem o impacto sobre a audiência, mas as pessoas. Informar é formar, é lidar com a vida das pessoas”, escreve Francisco.

O presidente da República Portuguesa, Marcelo Rebelo de Sousa, citou a mensagem papal para assinalar o Dia Mundial da Liberdade, sublinhando que “a verdade liberta”.

“Neste contexto mundial em que vivemos e em que assistimos ao fenómeno das ‘fake news’ e em que, como referi na sessão solene do 25 de Abril, tantos populismos crescem à sombra de mediatismos fáceis, é necessária uma vigilância acrescida para que todos possam gozar de verdadeira Liberdade de Imprensa”, referiu o chefe de Estado.

O Dia Mundial das Comunicações Sociais é a única celebração do género estabelecida pelo Concílio Vaticano II (decreto ‘Inter Mirifica’, 1963).

Os donativos recolhidos nas Missas dominicais revertem em favor dos projetos do Secretariado Nacional das Comunicações e dos vários Secretariados Diocesanos do setor.