Comunidade Obra de Maria promove ações de evangelização em Rabo de Peixe

O pequeno largo que liga as ruas do Pires e da Cruz, em Rabo de Peixe, na ilha de São Miguel, foi pequeno para acolher todos os fieis que, com a “regularidade possível”, participam nas ações de evangelização desenvolvidas pela Comunidade Brasileira Obra de Maria às segundas e às quartas feiras, à noite, intituladas “Encontros com Deus na Rua”.

Embora fosse o sexto Encontro deste ano, o entusiasmo era tão grande como se fosse uma novidade. Mulheres e crianças reuniram-se para “louvar a Deus”, em torno do Pe José Cláudio e dos leigos consagrados Andreia; Roberto e o recém chegado David Samuel, que residem em rabo Peixe (o sacerdote é, de resto o pároco).

Um toldo improvisado, com uma imagem de Nossa Senhora e uma aparelhagem de som, “para se ouvirem melhor”, foram o suficiente para chamar os fieis destas ruas e das vizinhas para rezar porque afinal “Deus está em todo o lado e por isso seja na igreja, em casa ou na rua podemos sempre encontrar-nos com Ele”.

“O importante é fazermos este Encontro com Deus”, disse ao Sítio Igreja Açores o pe José Cláudio, há quatro anos em São Miguel. Já é da casa, a avaliar pela forma como os locais o tratam, sobretudo as crianças que se aproximam com uma familiaridade que salta à vista.

Entre abraços e gestos de carinho começa o momento de celebração. Depois de rezado o terço, mulheres e crianças aquecem as vozes seguindo as orientações de Andreia Pereira que por entre os acordes da viola do marido, Roberto, vai deixando pequenas mensagens sobre Jesus, “o grande pescador de homens”, comos os pais, os irmãos, os tios e os avós desta comunidade, que não estão na celebração mas nem por isso são esquecidos.

À pergunta “quem daqui tem um pescador na família”, colocada quase de forma retorica para quem vive numa comunidade piscatória, todos respondem levantando o braço e Andreia aproveita para dizer “pois eles apanham peixe, mas o nosso amigo Jesus gostava de pescar homens. Vamos ser como Ele?”.

A mensagem é simples, melodiosa e fácil de interpretar. Do mais pequeno ao mais velho, todos vão respondendo seja cantando seja rezando, num ritmo de quem, pelo menos naquele momento, ouve a palavra de Deus com o ouvido do coração.

Criado o ambiente, Andreia dirige-se às crianças e diz-lhes “vamos para a nossa festa e deixemos aqui as mães” e de repente a criançada segue “a catequista” e deixa as mães com o sacerdote. Chegou o momento da celebração da palavra: a leitura de um excerto da bíblia, e a seguir uma meditação, sempre com uma enorme simplicidade. À maneira de Jesus.

O tema era o Amor de Deus pelos homens; o sofrimento pelo qual Jesus e a sua Mãe, Maria, passaram.

“Mesmo nos momentos de tribulações, de angústia, de desespero nunca podemos duvidar do Amor de Deus pois quem tem fé, como Maria tinha, quem acredita na força do amor de Deus, terá sempre uma graça e conseguirá ultrapassar a dificuldade”, repetiu o Pe José Cláudio apelando, por outro lado, “à paciência”.

“É preciso ser paciente. Quando estendemos a mão e nos viram as costas, não podemos desistir. Jesus não desistiu dos apóstolos quando eles duvidaram. Em casa quando os filhos ou os maridos nos viram as costas; quando os vizinhos não são gentis, devemos estender-lhes mão, com paciência” afirmava o sacerdote por entre palavras de conforto, de estímulo que, a pouco e pouco iam recebendo o assentimento das várias dezenas de mulheres que marcaram presença neste “Encontro com Deus na Rua”.

Esta é uma das muitas iniciativas que a Obra de Maria vai desenvolvendo, em nome da evangelização, sobretudo em Rabo de Peixe. Mas há outras. “Caminhar com Jesus”, envolvendo jovens ou o Cenáculo em que escolhem uma casa de uma família e ali rezam o terço, abrindo as portas aos vizinhos.

“Isto é igreja; façam das vossas casas a primeira igreja, mas não se esqueçam de ir à outra igreja, pelo menos ao domingo”, disse várias vezes o Pe José Cláudio em jeito de despedida mas também de incentivo à participação nas iniciativas da Comunidade, que assim prossegue o seu trabalho de Evangelização.

Fundada no Brasil, pelo leigo Gilberto Gomes Barbosa e presente em países como Argentina, Paraguai, Bolívia, Portugal (São Miguel e Fátima), Itália (Roma) e Israel possui, ainda,  cinco casas de Missão em África, esta é uma comunidade que trabalha sobretudo com jovens, através da oração e da música, como meios de evangelização.

A Obra de Maria está nos Açores há quatro anos e foi introduzida pelo Pe Jason Gouveia, instalando-se na ouvidoria de Vila Franca do Campo, onde se situa a paróquia de Ponta Garça e depois em Rabo de Peixe, na ouvidoria da Ribeira Grande. Atualmente a Obra de Maria tem dois sacerdotes a proquiar em paróquias da ilha de São Miguel, e na lógica destas novas comunidades, os padres são assitidos por leigos consagrados também da Comunidade.

Cantar, Orar e Comprometer-se. Mais do que três palavras, são os três lemas deste grupo católico, cuja principal missão consiste na organização de peregrinações anuais a lugares santos, como a Terra Santa, Fátima, os Caminhos de São Paulo, entre outros.