Celebrações invocando a padroeira dos estudantes terminam esta quinta-feira

A Festa de Santa Catarina de Alexandria, Padroeira dos estudantes, este ano, ainda, está a ser celebrada na Igreja Paroquial de São Pedro, com a presença da imagem.

De acordo com uma nota enviada ao Igreja Açores pelo pároco da comunidade paroquial de São Pedro de Angra, cónego Jacinto Bento, este ano ainda não foi possível celebrar a festa  na ermida devido “à exiguidade do espaço”.

Até ontem foi celebrado um tríduo preparatório, e hoje dia da festa, a missa das 18h00 será solenizada e presidida pelo Reitor do Seminário Episcopal de Angra, padre Hélder Miranda Alexandre e animada pelos seminaristas.

Nascida em Alexandria, Santa catarina é uma das mais célebres mártires dos primeiros séculos. O pai, diz a lenda, era Costes, rei de Alexandria. Ela própria era, aos 17 anos, a mais bonita e a mais sábia das jovens de todo o império; essa sabedoria levou-a a ser muitas vezes invocada pelos estudantes. Anunciou que desejava casar-se, mas reza a história que teria de ser com um príncipe tão belo e tão sábio como ela.

Conta-se que se apresentou em nome de Deus, diante do perseguidor, imperador Maxêncio, a fim de repreendê-lo por perseguir aos cristãos e demonstrar a irracionalidade e inutilidade da religião pagã. Santa Catarina, conduzida pelo Espírito Santo e com sabedoria, conseguiu demonstrar a beleza do seguimento de Jesus na sua Igreja, levando à conversão de 50 filósofos do tempo e da mulher do imperador,, todos mandados queimar vivos.

Após a sua morte, Santa Catarina foi provada na dor e aprovada por Deus no martírio, tendo sido sacrificada numa máquina com quatro rodas, armadas de pontas e de serras. Isto aconteceu por volta do ano 305. O seu culto parece ter irradiado do Monte Sinai; a festa foi incluída no calendário pelo Papa João XXII (1316-1334).