Papa argentino elogia papel do seu predecessor

O Papa Francisco descartou hoje qualquer polémica com o seu predecessor, Bento XVI, sublinhando que “há apenas um Papa, o outro é emérito”.

“Talvez no futuro possa haver dois ou três [Papa], mas são eméritos”, precisou, numa conferência de imprensa durante o voo de regresso de Erevan, capital da Arménia, no final de uma visita de três dias ao país.

O Papa argentino rejeitou que o papado esteja dividido, precisando que Bento XVI é “o Papa emérito, não o ‘segundo Papa’, e é muito fiel à sua palavra, muito sábio”.

Na terça-feira, Bento XVI vai regressar pela primeira vez ao palácio apostólico do Vaticano após ter renunciando ao pontificado em fevereiro de 2013, para uma homenagem por ocasião do seu 65.º aniversário de ordenação sacerdotal.

“Haverá um pequeno ato, com os chefes dos dicastérios [Cúria Romana], porque ele [Bento XVI] prefere uma coisa pequena, muito modestamente. Eu direito alguma coisa a este grande homem de oração e de coragem”, adiantou o Papa Francisco.

O pontífice argentino considera que o seu predecessor explicou “claramente” que resignava ao pontificado, a 11 de fevereiro de 2013, e se retirava para “ajudar a Igreja com a oração”.

“Bento XVI está no mosteiro [Mater Dei, no Vaticano], a rezar. Encontrei-me lá muitas vezes com ele, falamos pelo telefone, no outro dia escreveu-me uma cartinha com votos de sucesso para esta viagem”, explicou.

Francisco falou do Papa emérito como alguém que “protege” as suas costas e o apoia com a oração.

O atual Papa disse que o seu predecessor é um “homem de palavra, reto”, admitindo ter ouvido falar em “queixas” a respeito de si, que alguns teriam querido fazer a Bento XVI, o qual os teria mandado embora, “com o seu estilo bávaro”.

“Já agradeci publicamente a Bento XVI por ter aberto a porta aos Papas eméritos. Hoje, com o prolongamento da vida, é possível reger a Igreja com uma certa idade, com os achaques?”, questiono.

(Com Ecclesia)