Iniciativa é promovida pela pastoral da cultura

Pelo segundo ano consecutivo, a equipa diocesana da Pastoral da Cultura organiza uma Oficina de Arte e Mística Cristã, através da qual se descobre e vivência da espiritualidade cristã através da criação artística, informa uma nota do Diretor do Serviço Diocesano da Pastoral da Cultura, Pe. Ricardo Tavares.

O evento, realizado com o apoio da Junta de Freguesia local, decorrerá na freguesia dos Fenais da Luz (Ouvidoria das Capelas, Ilha de São Miguel), sendo aberto a toda a ilha de São Miguel.

As atividades intergeracionais, que não carecem de inscrição nem de material, são apropriadas para crianças, jovens e adultos, especialmente pais, avós, catequistas, líderes de grupos de jovens e outros agentes de pastoral, e decorrerão entre as 11:30 e as 16:30 horas.

Às 16:30 haverá uma Eucaristia que será marcada pela expressão de todos os trabalhos realizados ao longo do dia. Estão também convidados a participar todas e todos quantos, interessados pela arte e pela sabedoria religiosa, se sentem atraídos pela figura de Jesus Cristo.

As produções artísticas irão explorar a “teologia do corpo” humano na cultura bíblica, nomeadamente o ventre, as mãos, os olhos, os pés, os ouvidos e o coração.

“O objetivo último consiste em fazer, pela arte, a experiência da presença viva de Deus neste corpo de carne animada, que sou eu próprio”, refere o texto da nota.

“Numa época em que se busca mais espiritualidade que religião, a arte manifesta-se como o caminho ideal para dar expressão à dimensão transcendente da vida humana, nomeadamente o mistério da vida e o mistério de Deus, revelado em Jesus Cristo”, esclarece ainda.

“A arte, que abrange a inteligência e a afetividade, a razão e a emoção, constitui um meio privilegiado para uma Encarnação do Verbo no mundo contemporâneo, abrindo portas a uma civilização da verdade e do amor, um novo humanismo. Uma mística cristã formada pela arte pode esclarecer melhor o sentido e o valor da vida, alargar os horizontes da razão e fortalecer os fundamentos da moral humana”, salienta por outro lado a nota do Serviço Diocesano.

“Uma espiritualidade cristã marcada pela beleza tem um poder salvador que renova a vida humana através de uma nova criatividade. A actividade artística permite uma melhor redescoberta da mensagem bíblica, possibilitando um acréscimo de alegria e beleza, liberdade e sentido, verdade e bondade” prossegue ainda.

A Pastoral da Cultura também realiza a proposta de modelos a imitar. Depois de nos anos passados terem sido homenageados os Padres Manuel Pimentel (Pastoral Social, 2017) e José Maria Almeida (Pastoral Juvenil, 2018), será agora homenageado o venerável Padre Bartholomeu do Quental (1626-1698), natural dos Fenais da Luz e mestre na arte da palavra.

A primeira Oficina, realizada no ano passado no Estabelecimento Prisional de Ponta Delgada, com a colaboração dos jovens da Ouvidoria da Lagoa, baseou-se na pintura, no teatro e na música. Este ano, a segunda oficina abrange uma maior variedade de artes — poesia, música, moda & design, dança, escultura, teatro, cinema e pintura mural —, em diferentes workshops coordenados por diversos artistas, profissionais e amadores.