Imagem peregrina estará nos Açores a partir de março de 2016 e percorrerá o arquipélago

A primeira imagem peregrina de Fátima, que na década de 1950 percorreu o mundo e foi entronizada na Basílica de Nossa Senhora do Rosário, inicia na quarta-feira a primeira peregrinação às dioceses portuguesas, que termina em maio de 2016.

“É a primeira vez que [a imagem peregrina] vai num périplo propositadamente pelas dioceses, mas como esta imagem percorreu já várias vezes o mundo e era a imagem que saía, já tinha estado em todas as dioceses, mas não numa peregrinação nacional deste género”, afirmou à agência Lusa o reitor do Santuário de Fátima, padre Carlos Cabecinhas.

O sacerdote disse esperar que a peregrinação da imagem “tenha um impacto enormíssimo”.

“A iniciativa da visita da imagem peregrina às dioceses portuguesas nasceu precisamente desta perceção de que, por um lado, a devoção a Nossa Senhora de Fátima é muito grande; por outro lado é Nossa Senhora que vai visitar as comunidades, convidando-as a vir cá em 2016-2017 para a celebração do centenário das aparições”, declarou Carlos Cabecinhas, acreditando que “a recetividade nas comunidades diocesanas será enorme”.

Para o sacerdote, Fátima, no distrito de Santarém, “continua a ser esse lugar especial para a grande maioria dos portugueses, esse lugar especial para a celebração da fé, esse lugar especial de devoção mariana”.

Segundo informação do Santuário de Fátima, após deixar o templo mariano, durante as celebrações da peregrinação internacional aniversária, 98 anos após os acontecimentos de Fátima, a imagem inicia o percurso por Viseu, continuando por Braga, Viana do Castelo, Vila Real, Bragança-Miranda, Lamego e Coimbra.

 

Guarda, Portalegre-Castelo Branco, Setúbal, Évora, Beja, Algarve, Santarém, Lisboa, Funchal, Aveiro, Angra do Heroísmo e Porto são as dioceses que seguem, culminando a peregrinação, dentro de um ano, na diocese de origem, Leiria-Fátima.

Citado numa nota publicada no sítio na Internet do santuário, o reitor manifesta o desejo de que esta “grande peregrinação” da imagem peregrina seja “uma forte experiência de fé, através das celebrações, momentos de oração e expressões de piedade popular”, que chegue a “todas as faixas etárias” e que “todos tenham oportunidade de aprofundar o conhecimento e vivência da mensagem de Fátima”.

Em abril, a Conferência Episcopal Portuguesa emitiu uma nota pastoral sobre a visita da imagem peregrina às dioceses, esperando que a iniciativa “mobilize todas as comunidades cristãs para um acolhimento caloroso”.

“Pedimos a todos que acolham a imagem da Virgem Peregrina com sobriedade e que a visita seja ocasião de solicitude e partilha com os pobres”, lê-se na nota, referindo que, “enquanto fenómeno mobilizador das multidões, a mensagem e a espiritualidade marianas de Fátima predispõem, de facto, muitos corações para acolherem a ação evangelizadora da Igreja”.

Considerando este acontecimento de “grande alcance eclesial”, os bispos esperam ainda que a primeira peregrinação da imagem pelas dioceses portuguesas “deixe marcas muito positivas nas comunidades cristãs”.

A primeira Imagem da Virgem Peregrina de Fátima voltará aos Açores entre Março e Abril de 2016, para percorrer as nove ilhas do arquipélago.

A imagem entrará nos Açores no dia 6 de Março e sairá no final de Abril permanecendo excecionalmente quase dois meses, muito mais do que o tempo que permanecerá noutras dioceses.

“Nós vamos ter uma discriminação positiva nesta matéria e vamos trabalhar em estreita colaboração com o próprio Santuário, o seu reitor e a Comissão Nacional que está a tratar desta peregrinação por todas as dioceses do país”, disse ao Sítio Igreja Açores, o Porta Voz da Diocese, Cónego Hélder Fonseca Mendes.

A Diocese de Angra vai elaborar o programa interno desta visita, perspetivando-se uma estada da imagem peregrina em todas as 16 ouvidorias que compõem o arquipélago.

“O itinerário diocesano da imagem peregrina vai ser delineado e muito provavelmente será criada uma comissão diocesana que integrará o Movimento da Mensagem de Fátima para coordenar tudo no terreno” precisou, ainda.

A primeira imagem peregrina de Fátima, feita segundo indicações da irmã Lúcia, foi oferecida pelo bispo de Leiria e coroada pelo arcebispo de Évora a 13 de maio de 1947, tendo desde esta data, por diversas vezes, percorrido o mundo inteiro.

A iniciativa da imagem peregrina de Fátima, considerada como uma “embaixadora da mensagem” dos acontecimentos de 1917 na Cova da Iria, surgiu há 70 anos, na Alemanha, após o fim da 2.ª Guerra Mundial.

“Tudo começou em 1945, pouco depois do final da 2.ª Guerra Mundial, quando um pároco de Berlim [Alemanha] propôs que uma imagem de Nossa Senhora de Fátima percorresse todas as capitais e as cidades episcopais da Europa até à fronteira da Rússia”, lê-se no sítio na Internet do Santuário de Fátima.

Segundo esta instituição, “a ideia foi retomada em abril de 1946 por um representante do Luxemburgo no Conselho Internacional da Juventude Católica Feminina e, no ano seguinte, no mesmo dia da sua coroação [13 de maio de 1947], teve início a primeira viagem”.

Depois de mais de meio século de peregrinação, em que a imagem, feita segundo indicações da irmã Lúcia, visitou 64 países dos vários continentes, alguns deles por diversas vezes, a reitoria do Santuário de Fátima entendeu que ela não deveria sair mais habitualmente, mas só por alguma circunstância extraordinária, informa o templo.

 

Em maio de 2000, mês em que o papa João Paulo II peregrinou a Fátima pela terceira vez e beatificou os videntes Francisco e Jacinta Marto, a primeira imagem peregrina foi colocada na exposição “Fátima Luz e Paz”, sendo, três anos depois, a 08 de dezembro de 2003, entronizada na Basílica de Nossa Senhora do Rosário de Fátima.

O santuário adianta que, para “dar resposta aos imensos pedidos, foram, entretanto, feitas várias réplicas da primeira imagem peregrina”.

Em fevereiro, o santuário adquiriu uma nova imagem peregrina – a 13.ª – “para juntar ao grupo das imagens de que dispõe para as peregrinações em Portugal e no mundo inteiro”.

“Esta decisão foi tomada para tornar possível a resposta ao crescente número de pedidos que estão a surgir com o aproximar do centenário das aparições, vindos de toda a parte, sobretudo de Portugal, Itália, Brasil e Espanha”, refere o santuário, localizado no distrito de Santarém.

Benzida a 04 de março, na Capelinha das Aparições, a imagem n.º 13 partiu, no dia seguinte, para Itália, para a sua primeira peregrinação, a realizar na Sicília, “sob a responsabilidade do Apostolado Mundial de Fátima” naquela região.

Em 2014, a 12 de maio, a primeira imagem peregrina de Fátima – que na quarta-feira começa a sua primeira peregrinação pelas dioceses portuguesas – iniciou um percurso pelos mosteiros de clausura do país.

A iniciativa arrancou no Carmelo, em Fátima, onde a irmã Lúcia, uma das videntes de Fátima, ficou alojada aquando das visitas papais ao santuário, e terminou a 02 de fevereiro.

CR/Lusa