D.João Lavrador visita pela primeira vez ilhas do Grupo Ocidental e recebeu um báculo em madeira de cedro cortado há 55 anos

A Imagem peregrina de Nossa Senhora de Fátima está prestes a chegar à mais pequena ilha do arquipélago, o Corvo e com ela vai também o novo bispo coadjutor pela primeira vez. De resto D. João Lavrador visita pela primeira vez estas duas ilhas, contactando com as suas comunidades.

Para trás ficam três dias de contactos com a população da ilha das Flores, onde se situa o ponto mais ocidental da Europa- o ilhéu de Monchique- onde o prelado coadjutor insistiu em três mensagens: realçou sempre o sentido da comunidade, sublinhou a importância da participação na Eucaristia e o sentido oblativo importante na vida dos doentes e frisou a necessidade de rezar pelas vocações e ajudar os jovens a descobrir o seu caminho.

“Foi uma visita muito intensa, com muitos momentos de oração, um autêntico retiro espiritual promovido pela presença de Nossa Senhora, que como boa mãe atraiu a si e para junto do seu filho muitas pessoas”, destaca o ouvidor em declarações ao Sítio Igreja Açores Pe Ruben Sousa.

A Imagem da Virgem Peregrina chegou à ilha das Flores no passado dia 3 de fevereiro, tendo sido recebida por todos os fieis no aeroporto das Flores, saindo em procissão de velas em direcção à Matriz de Santa Cruz.

Durante o percurso a imagem teve uma primeira paragem junto ao nicho em sua honra, no bairro a ela dedicado.

“Desta forma, fez-se memória da última vinda da imagem de Nossa Senhora de Fátima à ilha das em 1996, altura em que um sacerdote que acompanhava a imagem peregrina, prontificou-se a enviar do santuário uma imagem, a qual se encontra no referido nicho” recorda o ouvidor eclesiástico da ilha.

Parou uma segunda vez na Santa Casa da Misericórdia de Santa Cruz, onde D. João Lavrador abençoou os idosos e os doentes. Seguiu-se uma eucaristia solene em louvor de Nossa Senhora de Fátima, muito participada pelos fieis da ilha.

Nesta celebração, o clero ofereceu a D. João Lavrador um báculo, símbolo do múnus de pastor, feito em madeira de cedro, plantado na ilha e cortado há 55 anos, tendo o mesmo 11 argolas, que simbolizam as 11 paróquias da Ouvidoria das Flores.

“Assim, em nome de todos, o clero exprimiu que a exemplo do lema de D. João, “Tu segue-me”, também todos queremos seguir Jesus, guiados pelo nosso futuro bispo”, referiu ainda o Pe Ruben Sousa.

Depois da celebração, os fieis permaneceram em oração até à meia note, altura em que a igreja foi encerrada.

No dia 4, depois da oração de laudes, as crianças do jardim de infância “O Girassol”, da escola de Ponta Delgada e de Santa Cruz realizaram a sua celebração mariana, animada com orações e cânticos. No mesmo esquema, seguiu-se a celebração mariana orientada pelos adolescentes e jovens do 2º, 3º ciclos e secundário.

Da parte da tarde celebrou-se uma eucaristia, com o sacramento da Santa Unção, seguindo-se momentos de louvor a Nossa Senhora pelas paróquias do Concelho de Santa Cruz.

Depois da oração de Vésperas, a imagem rumou ao Concelho das Lajes, onde foi efusivamente acolhida, visitando o Lar de idosos das Lajes das Flores, sendo o esquema do programa o mesmo, com animação pelas crianças, adolescentes, idosos e paróquias.

Esta noite, a imagem regressou à Matriz de Santa Cruz, sendo celebrada uma Eucaristia de despedida e uma vigília de oração mariana animada pelo grupo de escuteiros grupo de jovens.