Cerimónia de imposição de insignias decorre esta segunda feira do Espirito Santo na ilha das Flores

A Irmandade do Senhor Santo Cristo dos Milagres  é uma das 26 entidades condecoradas no dia da Região que se celebra esta segunda feira do Espírito Santo, no concelho das Lajes das Flores, que está a comemorar 500 anos de evangelização.

A Irmandade do Senhor Santo Cristo dos Milagres, que este ano comemora 250 anos de existência, foi fundada em abril de 1765 e desde essa data é a principal responsável pela organização das maiores festas religiosas dos Açores, que arrancam hoje em Ponta Delgada, em Honra do Senhor Santo Cristo dos Milagres, um culto que leva mais de 300 anos a ser celebrado em São Miguel.

A Irmandade nasceu por iniciativa do Comandante Geral da Ilha de São Miguel, sargento-mor António Borges Bettencourt e ficou encarregue de todos os anos organizar a procissão solene e hoje além dessa procissão iniciada pela Madre Teresa da Anunciada, é também responsável pela mudança da imagem, missa campal, iluminação decorativa e arraial popular.

A  Irmandade é uma associação de fiéis, de fins não lucrativos, constituída na ordem jurídica canónica, sedeada no Convento da Esperança, reconhecida como instituição particular de solidariedade social. Tem por objeto praticar a solidariedade, especialmente no apoio à família, e realizar atos de culto ao Senhor Santo Cristo, ainda hoje, como há 250 anos.

“A sua finalidade estatutária é a nossa causa, o seu percurso histórico é o nosso orgulho, o seu trabalho anual a todos importa, a sua comemoração atual a todos convoca” sublinha o texto do Voto de Congratulação que foi aprovado pela Assembleia Legislativa dos Açores em abril passado e que os deputados quiseram que que se assumisse como “um agradecimento popular e oficial dos açorianos”.

A lista de condecorados no Dia da Região Autónoma dos Açores deste ano, incluiu personalidades e instituições que se destacaram na vida política, cultural e histórica do arquipélago.

É o caso de Adolfo Lima, antigo secretário da Agricultura e Pescas, Roberto Amaral, ex-secretário regional das Finanças, o escritor Vamberto Freitas, o meteorologista Anthímio de Azevedo (que morreu no ano passado), e o antigo presidente da Câmara de Ponta Delgada João Gago da Câmara (também a título póstumo).