26 jovens partiram esta quarta feira rumo aos Cedros,  no Faial As Irmãs Doroteias, em conjunto com alguns jovens ligados à congregação e o Centro Comunitário Cais de Remar, dos Fenais da Ajuda, partiram esta quarta feira rumo ao Faial,  numa iniciativa de “evangelização direta” neste tempo de verão, para participarem num encontro que reune mais de cem jovens na ilha azul.

Trata-se de uma iniciativa desenvolvida em parceria com o Serviço da Pastoral juvenil e vocacional da ouvidoria do Faial, liderado pelo Pe Bruno Rodrigues, pároco dos Cedros e que conta ainda com a participação do Movimento Católico Oásis.

“Mexe-te! Reavive o Dom de Deus que há em ti” é a proposta das três religiosas que vivem na Salga, na ouvidoria do Nordeste, em São Miguel, que com o auxilio de uma irmã do Continente português que já esteve a residir nos Açores- a Irmã Fernanda Manso- e de dois jovens da paróquia de Santa Catarina, perto de Fátima, vão acompanhar mais de duas dezenas de jovens oriundos da Salga, Lomba de São Pedro, Fenais da Ajuda e Lomba da Maia, na ilha de São Miguel até ao Faial, para um intercâmbio com jovens locais que, por estes dias promovem um festival da juventude.

A viagem iniciou-se ontem a partir de Ponta Delgada, de barco até à Terceira, onde dormiram, seguindo esta quinta feira para o Faial.

“Nós Doroteias estamos em todos os domínios da educação da juventude e promoção da mulher e por isso, esta iniciativa de verão pretende também desenvolver-se segundo este principio”, disse ao Sítio Igreja Açores a Irmã Fernanda Manso, sublinhando que há 14 anos que a Congregação propõe “férias diferentes”.

“Nós sabendo que Jesus nunca faz férias de nós gostamos de O levar a lugares e ambientes diferentes, dando-O a conhecer de uma forma simples e direta”, acrescentou, lembrando as iniciativas feitas no Algarve e agora também nos Açores.

“Levar os jovens a outros lugares e dar-lhes a conhecer outros costumes,  ajudando-os a alargar horizontes e a crescerem como pessoas, é um bom começo para depois lhes falarmos de Jesus”, disse destacando que “este intercâmbio em que vamos participar no Faial insere-se nesta dinâmica de dar a conhecer aos jovens que connosco trabalham durante todo o ano uma outra abordagem de vida para que sejam mais interventivos e mais participativos”, concluiu.

“Nós consideramos que é preciso apostar no futuro e este passa pelos jovens com quem também vamos aprendendo com as situações novas que nos colocam e que nos fazem refletir”, disse ainda a religiosa que acompanha esta “missão”, desenvolvida localmente, mas que conta com a partricipação de dois jovens animadores do Grupo de Jovens da Paróquia de Santa Catarina, perto de Fátima.

Leandro, um deles, veio pela primeira vez aos Açores e garante que está a gostar.

“Julgo que vai ser muito fixe e quero conhecer gente nova para lhes mostrar o que fazemos ao nivel da juntude no nosso grupo e na nossa paróquia”.

Um desejo que é partilhado por Maria, da Salga, que ainda não o conhece mas que garante que parte nesta aventura com a vontade de “se conhecer melhor e conhecer outras pessoas e outra forma de ver o mundo”.

Na hora da partida, ao principio da noite de ontem, os jovens tiveram oportunidade de rezar e cantar com a ajuda do sacerdote José Cláudio, padre da Comunidade da Obra de Maria, que reside em Rabo de Peixe e de um jovem leigo consagrado que o acompanhou.

“Em clima de festa e de ação de graças” os 26 jovens seguiram de barco para a Terceira e depois para o Faial, onde vão permanecer desenvolvendo várias atividades, até dia 24.

“Uma das iniciativas que vamos desenvolver é uma caminhada desde a freguesia dos Cedros até ao Santuário de Nossa Senhora de Fátima, no Faial, que será um momento de oração e partilha para que os jovens despertem a capacidade de partilhar aquilo que têm” disse ao Sítio Igreja Açores, a responsável pela comunidade religiosa em São Miguel, Irmã Judite Moinheiro.

Esta iniciativa, que decorrerá entre 19 e 24 de agosto,  está integrada nas atividades de verão da congregação que assinala em 2016 150 anos de presença em Portugal.

As Irmãs Doroteias chegaram aos Açores em 1993, fixaram-se primeiro na Maia e agora estão a residir na Salga, embora continuem a dar o seu contributo a duas ouvidorias- Nordeste e Fenais de Vera Cruz- onde desenvolvem trabalho de evangelização seja na promoção da catequese seja no âmbito de ações sociais.

De resto, coordenam um centro comunitário nos Fenais da Ajuda cujo principal objetivo é promover a dignidade da pessoa, assente essencialmente na promoção sócio profissional da mulher, com uma atenção especial aos adolescentes e mais jovens.

O ano passado a atividade de verão da congregação esteve também centrada numa caminhada mas entre portas, desde a Maia até à Mata do Dr. Fraga, uma zona de reserva florestal muito conhecida nesta zona da ilha de São Miguel.

Estas iniciativas servem, igualmente, para pontuar a data da fundação da congregação a 12 de agosto de 1834, por Paula Frassinetti, em Itália.

Com estas atividades de verão, as Irmãs Doroteias, que possuem atualmente 26 comunidades na província portuguesa, mostram que “de Deus não se faz férias”.