Mais de cem pessoas participaram no final desta semana nas minis jornadas da pastoral familiar na ouvidoria da Lagoa

“A família é uma comunidade intima de vida e por isso é a igreja doméstica”, disse ao Sítio Igreja Açores o responsável pela organização das jornadas da pastoral familiar na ouvidoria da Lagoa, Pe João Furtado no final de dois dias de debate intenso sobre a problemática da família, nesta ouvidoria de São Miguel.

Mais de uma centena de representantes de movimentos ligados à pastoral familiar e leigos de toda a ouvidoria participaram nestas quartas mini jornadas da Lagoa, que decorreram no Salão Paroquial de Nossa Senhora dos Anjos, em Àgua de Pau.

As jornadas repartiram-se entre uma conferência, proferida pela professora universitária Teresa Medeiros sobre a “Vivência intergeracional em família: as relações interpessoais entre pais e filhos, netos, avós e irmãos” e um encontro animado pelo diretor do Serviço Diocesano da Pastoral da Familia, Cónego José Medeiros Constãncia sobre “a Família, Igreja Doméstica e Comunidade íntima de amor e de vida”, que contou com a cooperação de um dos membros do secretariado diocesano, António Canotilho.

A formação, destinada a todas as paróquias da ouvidoria da Lagoa, teve por objetivo “desencadear o protagonismo da família na construção da Igreja a começar no ambiente doméstico”, disse ao Sítio Igreja Açores o responsável da ouvidoria pelas questões da pastoral familiar, Pe João Furtado.

“Na medida em que a família cristã acolhe o Evangelho e amadurece na fé, torna-se comunidade evangelizadora”, diz a nota enviada ao Sítio Igreja Açores pelo sacerdote, lembrando as palavras de São João Paulo II, como Papa.

“A família, como a Igreja deve ser um lugar onde se transmite o Evangelho e de onde o Evangelho irradia. Portanto no interior de uma família consciente desta missão, todos os membros evangelizam e são evangelizados”, frisou ainda.

“Foram momentos muito importantes que nos fizeram pensar e, sobretudo, de uma forma realista fizeram vir ao de cima constransgimentos e aspectos que nós muitas vezes descuramos e que podem ser resolvidos nos vários níveis de realação familiar, permitindo ultrapassar alguns problemas”, concluiu o responsável poela organização destas mini jornadas.