Escultura do sacerdote, que foi professor no Seminário Episcopal de Angra, foi descerrado na freguesia dos Rosais

A Camara das Velas, a Junta de Freguesia e Paróquia dos Rosais, na ilha de São Jorge, acabam de homenagear Monsenhor José Nunes, sacerdote e professor do Seminário Episcopal de Angra, que faleceu em março de 2019, aos 85 anos de idade.

Natural dos Rosais, Monsenhor José Nunes foi imortalizado numa escultura da autoria de Rui Manuel Goulart, que se encontra no edifício Sol.

Na cerimónia de inauguração desta escultura, o presidente da Câmara das velas destacou o exemplo de “humildade e serviço” do sacerdote.

Monsenhor José Soares Nunes, nasceu a 21 de dezembro de 1934, na freguesia dos Rosais, na ilha de São Jorge: Depois da instrução primária frequentou os seminários diocesanos, no maior fez a formação liceal, filosófica e teológica e completou os estudos ainda antes de ter idade canónica para ser ordenado.

Após os estudos, monsenhor José Soares Nunes foi nomeado secretário pessoal do então bispo D. Manuel Afonso de Carvalho, entre 1957 e 1960.

Foi ordenado sacerdote na Capela da Natividade do Seminário Episcopal, e celebrou a Missa Nova a 17 de janeiro de 1960 na sua paróquia, sendo enviado depois para Roma onde estudou na Pontifícia Universidade Gregoriana.

Em 1964 foi nomeado professor do Seminário Episcopal e, por ele, “passou a formação de todo o clero diocesano desde então”.

Entre as diversas funções pastorais, esteve em São Gonçalo, em Angra, foi administrador paroquial na Paróquia do Posto Santo, capelão do Lar Santa Maria Goretti e da Casa de São Francisco, das Irmãs Hospitaleiras da Imaculada Conceição.

O padre José Soares Nunes esteve também ligado ao Exército, tendo sido durante 30 anos capelão civil do Regimento de Infantaria nº 17 e depois do Regimento de Guarnição nº 1, no Castelo de São João Baptista.

O Papa São João Paulo II nomeou-o monsenhor em 1990, com o grau de capelão do Santo Padre, e em 2006, o agora Papa emérito Bento XVI fê-lo prelado de honra de Sua Santidade, “um grau mais elevado na categoria de Monsenhor”.