O Papa Francisco disse que “nenhuma família nasce perfeita e confecionada” e pede que ”não falte carinho”, num vídeo que assinala o Ano da Família,

“Nenhuma família nasce perfeita e confecionada. Não há uma família “pronta”. Nunca percamos a esperança por causa dos nossos limites, mas também não desistamos de buscar a plenitude do amor, de amor e comunhão que nos foi prometido”, refere Francico, numa mensagem a respeito do ano especial ‘Amoris Laetitia’.

Francisco destaca ainda que o “carinho numa família é muito importante” e que, quando falta, pode-se dizer “que chegou o inverno a essa família, o inverno existencial”.

“Amados esposos, ajudem-se mutuamente a experimentar a beleza da igreja doméstica, a fazer igreja em casa. Criemos nas paróquias ocasiões de encontro, de oração pelas famílias, de crescimento, de discussão e de adoração, para os grandes como para os pequenos”, aponta o Papa.

No vídeo, divulgado pela Santa Sé, é apresentado o testemunho de uma família missionária que mostra momentos de oração e testemunho com os seus filhos.

A iniciativa, dedicada às famílias, começou a 19 de março de 2021, dia de São José, e decorre até à celebração do X Encontro Mundial das Famílias, em Roma (26.06.2022).

O vídeo preparado pelo Dicastério para os Leigos, a Família e a Vida (Santa Sé), com o título “Espiritualidade Conjugal e Familiar” inclui o testemunho do casal espanhol, Rosa e Edu, com seis filhos e vivem na Costa Rica.

O secretário do Dicastério para os Leigos, Família e Vida (Santa Sé) apelou à mobilização das comunidades e dioceses para o Encontro Mundial das Famílias 2022, marcado para Roma (Itália), de 22 a 26 de junho.

“Cada paróquia ou comunidade deve mobilizar-se e fazer um encontro multicêntrico como lhe chama o Papa Francisco”, disse à Agência ECCLESIA o padre Alexandre Awi Mello.

Apesar desta atividade da pastoral familiar ter o seu centro na capital italiana, o responsável sublinha que o encontro vai decorrer também nas dioceses do mundo inteiro, num modelo inédito.

“Vamos aproveitar para que todos possam, nas mesmas datas, fazer paralelamente um encontro em cada diocese, onde se possa reunir as famílias e refletir sobre o tema do encontro que é o ‘Amor em família: vocação e caminho de santidade’”, indicou.

Nas dioceses do mundo inteiro deve realizar-se “um encontro presidido pelo bispo” e através da internet os participantes podem “receber todos os impulsos do que acontece em Roma”, acentua o secretário do Dicastério para os Leigos, Família e Vida.

No site deste evento, as famílias podem “descarregar as sete catequeses”, subsídios que ajudam a preparar o encontro mundial do próximo ano.

Passados cinco anos da publicação da exortação apostólica ‘Amoris Laetitia’, do Papa Francisco, o padre Alexandre Awi Mello realça que este evento mundial serve também para “resgatar uma carta” que tem “uma beleza e profundidade muito grande”, mas “infelizmente alguns debates após o lançamento fizeram com que a beleza do documento não fosse aproveitada por todas as famílias e pela pastoral familiar”.

O próximo Encontro Mundial das Famílias (EMF) vai decorrer em 2022 num formato inédito, com eventos em cada diocese católica, em ligação com Roma.

“Na medida do possível, convido, pois, as comunidades diocesanas a organizar iniciativas a partir do tema do encontro, utilizando os símbolos que a Diocese de Roma está a preparar. Peço que sejam dinâmicos, ativos e criativos, para se organizarem com as famílias, em sintonia com o que acontecerá em Roma”, referiu Francisco, numa mensagem em vídeo divulgada pelo Vaticano .

O tema do 10.º EMF será ‘O Amor em família: vocação e caminho de santidade’ e decorre após o adiamento de um ano, por causa da pandemia.

O Papa sublinha que, nas edições anteriores, a maior parte das famílias ficava em casa e “o Encontro era visto como uma realidade distante, no máximo acompanhada pela televisão, ou desconhecida para a maioria das famílias”.

“Desta vez, porém, vai decorrer com uma fórmula inédita: será uma oportunidade da Providência para realizar um evento mundial capaz de envolver todas as famílias que quiserem sentir-se parte da comunidade eclesial”, afirma o Sumo Pontifície.

Francisco fala numa organização “multicêntrica e disseminada” para promover a participação das comunidades diocesanas do mundo inteiro.

“Roma será a sede principal, com alguns delegados da Pastoral Familiar que participarão no Festival das Famílias, no Congresso Pastoral e na Santa Missa, transmitidos para o mundo inteiro”, precisa.

Durante o 10.º EMF, indica o Papa, “cada diocese poderá ser o centro de um Encontro local para as suas famílias e comunidades”.

“Trata-se de uma ocasião valiosa para nos dedicarmos com entusiasmo à Pastoral Familiar: esposos, famílias e pastores, todos juntos. Portanto, coragem, queridos pastores e queridas famílias, ajudem-se mutuamente para organizar encontros nas dioceses e paróquias de todos os continentes”, deseja.

evento vai decorrer de 22 a 26 de junho de 2022, com iniciativas globais nas dioceses católicas e em Roma, que acolhe os delegados das Conferências Episcopais e dos movimentos internacionais empenhados na Pastoral Familiar.

O cardeal Kevin Farrell, prefeito do Dicastério para os Leigos, a Família e a Vida (Santa Sé), assinala em comunicado enviado à Agência ECCLESIA que este “importante encontro eclesial tem recebido uma participação crescente das famílias”.

“As milhares de pessoas que participaram das edições mais recentes, com a riqueza da sua língua, cultura e experiência, foram um sinal eloquente da beleza da família para a Igreja e para a humanidade inteira. Devemos continuar por esse caminho, procurando envolver ainda mais famílias nesta belíssima iniciativa”, acrescenta.

O “logo” pensado para o X Encontro Mundial das Famílias retoma a forma elíptica da colunata de Bernini, na Praça São Pedro, remetendo ao “seu significado original, que é o abraço acolhedor da Igreja-Mãe de Roma e do seu bispo, abraço que inclui e envolve todos os homens e mulheres de todos os tempos”.

(Com Ecclesia e Vatican News)