Diretor diocesano do Serviço de Evangelização e Catequese é o entrevistado do programa de Rádio Igreja Açores

O Papa Francisco “tem marcado pela diferença na sua relação com as pessoas” e isso tem “aberto a igreja ao mundo” afirma o Cónego Ângelo Valadão em entrevista ao programa de Rádio Igreja Açores que vai para o ar este domingo no Rádio Clube de Angra e na Antena 1 Açores a partir do meio dia.

“Este papa tem marcado pela diferença na sua relação com as pessoas: afirmando a necessidade da igreja se desprender do dinheiro e do poder para se abrir ao mundo numa atitude de serviço e de diálogo” refere o sacerdote que é o deão da Sé de Angra.

Ainda a propósito de Francisco, o Cónego Ângelo Valadão lembra que Francisco “sem mudar nada na doutrina” tem sido “um exemplo que cativa pelo seu testemunho”, sendo “verdadeiramente um papa conciliar”.

“É um homem que procura colocar a igreja no mundo e isso é profundamente uma marca do Concilio Vaticano II”, precisa.

Nesta entrevista ao programa de Rádio Igreja Açores o sacerdote, que é o novo responsável pelo Serviço Diocesano da Evangelização e Catequese, fala do Ano Santo da Misericórdia- que trouxe “uma nova sensibilidade ás pessoas”- e do que fica dele.

“Foi um bom momento para encerrar as comemorações dos 50 anos do Concilio com fortes implicações na igreja e no mundo” refere o sacerdote.

“Nós como cristãos precisamos de imitar a misericórdia de Jesus Cristo e o mundo precisa de combater a globalização da indiferença e colocar no lugar da violência a misericórdia e a reconciliação” salienta.

Neste entrevista o novo Vigário Paroquial de São Carlos, curato da ilha Terceira que lidera desde setembro deste ano, fala ainda das necessidades da pastoral hoje em dia, que precisa de ter “um profundo conhecimento sociológico do terreno”; dos desafios da catequese nos Açores e da sua vida como sacerdote, que já leva 43 anos.

O Cónego Ângelo Valadão é natural das Flores e este ano regressou ao Seminário Episcopal de Angra onde leciona.