A nova presidente do Movimento de Trabalhadores Cristãos Europeus (MTCE), Olinda Marques disse à Agência ECCLESIA que a “pandemia veio desregulamentar o trabalho” e é necessário um caminho para o equilíbrio.

“A pandemia veio desregulamentar o trabalho, estávamos habituados a 8 horas de trabalho numa empresa mas agora muitos estão em teletrabalho e, quando são colocados em casa, impedimos que estejam com colegas de trabalho e altera este lado social, de interação com companheiros de trabalho e sentimos que muitas vezes trabalham muito mais horas e não há horário de trabalho tão rígido”, afirmou a responsável portuguesa.

Olinda Marques defende “um meio termo” quando se refere ao teletrabalho e uma regulamentação, uma vez que admite vantagens.

“Vemos vantagens ao nível de ambiente e de acompanhamento de pessoas em casa mas é necessário regulamentar porque mudou tudo, eram um número de pessoas residual, muitas por opção e agora é porque não têm outra possibilidade; defendemos o meio termo, ir à empresa alguns dias da semana para que haja um equilíbrio importante para a saúde mental”, aponta a presidente do MTCE, eleita este mês para um mandato de dois anos.

Ao trabalhar numa farmácia, a entrevistada nota que houve “aumento de depressões, mas também a carga de trabalho aumentou”, que se traduziu “em muito mais horas de trabalho”.

Olinda Marques é natural da Diocese de Coimbra por onde passou pela JOC – Juventude Operária Católica; como membro da Liga Operária Católica Portuguesa (LOC), assumiu o cargo europeu, num mandato que lhe traz muitas preocupações.

A preocupação do domingo livre de trabalho, movimento europeu faz parte da plataforma “aliança pelo domingo livre”, onde nem todos os movimentos são cristãos, mas defendem a importância deste dia livre de trabalho, sendo um dia de descanso e reservado para a família; depois aprendi que na maioria dos países da Europa os centros comerciais, por exemplo, estão fechados, foram conseguindo lutar pelo domingo livre e Portugal tem muito a fazer”.

Outra questão é o trabalho digno, “preocupação transversal ao movimento europeu mas também mundial” e com a Europa, nomeadamente no tema dos refugiados, “porque com a pandemia o assunto foi ficando esquecido” e “continua a morrer gente no Mediterrâneo.

A nova equipa executiva do MTCE inclui a portuguesa Olinda Marques, dois espanhóis e um suíço.

A próxima assembleia-geral do Movimento de Trabalhadores Cristãos da Europa deve realizar-se em Portugal, no mês setembro de 2021, em Alfragide (Amadora), antecedendo o Conselho Mundial do MMTC que vai ter lugar no mesmo local.

(Com Ecclesia)