Francisco alerta para «crise humana e social» que atinge o país

O Papa Francisco dirigiu hoje uma mensagem de solidariedade à população da Grécia, mostrando a sua preocupação com os efeitos da crise “humana e social” que atinge o país.

“As notícias que chegam da Grécia são preocupantes, por causa da situação social e económica do país. O Santo Padre deseja que todo o povo helénico sinta a sua proximidade, sobretudo as famílias duramente provadas por uma crise humana e social tão complexo quanto dura”, assinala uma nota publicada pelo diretor da sala de imprensa da Santa Sé, padre Federico Lombardi.

A declaração oficial sustenta que “a dignidade da pessoa deve permanecer no centro de qualquer debate político e técnico, bem como na hora de tomar decisões responsáveis”.

“O Papa Francisco convida todos os fiéis a rezar pelo bem do amado povo grego”, conclui a nota.

O primeiro-ministro grego, Alexis Tsipras, vai dirigir-se hoje à nação numa mensagem transmitida pela televisão, depois de Atenas ter apresentado uma contraproposta para tentar alcançar um acordo com os credores.

D. Nicolau Printezis, arcebispo católico de Naxos-Tinos-Mícono-Andros e metropolita do Egeu, publicou uma carta aberta aos dirigentes do país, apelando ao “diálogo” entre a Grécia e os credores para encontrar uma “solução menos dolorosa”.

“O tempo que resta é curto e deve ser usado corretamente e de forma sensata”, apela o prelado, para quem é necessário procurar uma “solução nacional” e não partidária.

O prelado desafia Governo e oposição a travar a atual situação de “pobreza” e de “futuro incerto para crianças, adolescentes e jovens”.

A primeira sondagem com vista ao referendo de domingo na Grécia mostrou que quase metade das pessoas (46%) consultadas vai votar contra a proposta europeia alvo da consulta popular; 37% dizem que irão votar ‘sim’ e 17% ainda estão indecisos.

CR/Ecclesia