Francisco defende comunidades católicas «acolhedoras», sem lugar para o egoísmo

O Papa saudou hoje no Vaticano a solidariedade dos mexicanos com os migrantes, um dia depois da divulgação da fotografia de um imigrante afogado com a sua filha, com menos de 2 anos, na tentativa de entrar nos EUA.

“Quero felicitar os mexicanos, porque são tão acolhedores com os migrantes. Que Deus vos pague”, declarou Francisco, durante a audiência pública semanal que decorreu na Praça de São Pedro.

O porta-voz do Vaticano, Alessandro Gisotti, confirmou que o Papa viu “com imensa tristeza” a imagem do imigrante salvadorenho e da sua filha, afogados no Rio Grande (fronteira México-EUA), afirmando que Francisco “reza por eles e por todos os imigrantes que perderam a vida, tentando escapar da guerra e da miséria”.

Na sua reflexão, em língua espanhola, o Papa tinha deixado um pedido a todos os católicos: “Peçamos ao Espírito Santo para que as nossas comunidades sejam acolhedoras, sejam solidárias, vivendo a Liturgia, como encontro com Deus e com os irmãos”.

Partilhando a Palavra de Deus e também o pão, a Igreja torna-se o fermento de um novo mundo, no qual floresçam a justiça, a solidariedade e a compaixão.

O calor que se faz sentir em Roma levou a que o tradicional grupo de doentes presente na Praça de São Pedro ficasse no auditório Paulo VI, seguido a audiência através de ecrãs gigantes.

Francisco recordou que na próxima sexta-feira a Igreja Católica celebra esta sexta-feira a solenidade do Sagrado Coração de Jesus.

“Convido todos a olhar para este Coração e a imitá-lo nos seus sentimentos mais verdadeiros. Rezai por todos os sacerdotes e pelo meu ministério petrino, para que cada ação pastoral seja marcada pelo amor que Cristo tem por cada homem”, declarou.

Na sua saudação aos peregrinos polacos, o Papa apresentou o Coração de Jesus como fonte da “paz de espírito”, que muitas vezes é perturbada “pela incerteza, pela tristeza, pelo sentido do pecado”.

“Ofereçamos ao divino coração toda a nossa vida, nós mesmos, o tempo de férias que acaba de começar. Desejo a todos um bom descanso estival”, referiu.

Esta foi a última audiência antes da tradicional pausa de verão, que decorre até 7 de agosto.

“Não há lugar para o egoísmo na alma do cristão. Se você é egoísta, você não é cristão. Você é um mundano que pensa no próprio lucro. A proximidade e a unidade são o estilo dos redimidos”, apontou o pontífice.

Francisco recordou a importância de colocar-se no lugar do outro, mas para ajudar, dar esmola, visitar os doentes e quem necessita de consolação.

Dirigindo-se aos peregrinos de língua portuguesa, o Papa desejou que todos cresçam “cada vez mais no amor e na adoração da Eucaristia”.

 

“Que este Sacramento possa continuar a plasmar as vossas comunidades na caridade e na comunhão, segundo o coração do Pai. De bom grado vos abençoo a vós e aos vossos entes queridos”, concluiu.

 

(Com Ecclesia)