No encerramento do Ano da Família Amoris Laetitia, assistente diocesano faz balanço positivo: “há cada vez mais a consciência de que a família é a protagonista e não os padres”

Acolher com o amor é a proposta do papa para o X Encontro Mundial das Famílias que termina em Roma no dia 26 de junho encerrando o ano dedicado à Família Amoris Laetitia. Na diocese de Angra o repto foi aceite e, depois de um ano com inúmeras iniciativas, entre as quais o Primeiro Dia Diocesano da Famíilia, a equipa responsável pela pastoral diocesana organiza uma eucaristia, na Igreja matriz de São Sebastião em Ponta Delgada, aberta a todas as famílias da ilha.

“Trata-se de uma celebração diocesana presidida pelo Administrador, cónego Hélder Fonseca Mendes e visa sinalizar a comunhão da Igreja Açoriana com o Papa”, referiu ao programa de Rádio Igreja Açores o assistente da Pastoral família, Monsenhor José Medeiros Constância.

“Nem todos podem estar em Roma mas todos queremos estar em comunhão com o Papa e por isso decidimos esta celebração aberta a todas as famílias”, insiste o presbítero.

Entre os dias 22 e 26, data do X Encontro Mundial das Famílias, também a diocese vai seguir o esquema proposto por Roma e refletir sobre as temáticas que estão no centro destas comemorações.

O próximo Encontro Mundial das Famílias com o tema ‘Amor em família: vocação e caminho da santidade’, assumirá uma forma multicêntrica e ampliada: cada diocese pode ser o centro de um encontro local para suas próprias famílias e comunidades.

O encontro, inicialmente previsto para 2021, é promovido este ano com iniciativas globais nas dioceses do mundo inteiro, análogas às que, ao mesmo tempo, se farão em Roma, a sede oficial.

Roma vai receber o Festival das Famílias e o Congresso teológico-pastoral, ambos realizados na Sala Paulo VI, no Vaticano, além da missa na Praça São Pedro. Ao mesmo tempo, em cada diocese, os bispos podem se mobilizar em nível local para programar iniciativas similares, a partir do tema e com o uso dos símbolos do encontro.

O cardeal Kevin Farrell, prefeito do Dicastério para os Leigos, a Família e a Vida, comenta que, ao longo dos anos, “esse importante encontro eclesial tem recebido uma participação sempre crescente das famílias. Milhares de pessoas que participaram das edições mais recentes, com a riqueza da sua língua, cultura e experiência, foram um sinal eloquente da beleza da família para a Igreja e para a humanidade inteira. Devemos continuar por esse caminho, procurando envolver ainda mais as famílias nessa belíssima iniciativa”. Já o cardeal Angelo De Donatis, afirmou que “se trata de aproveitar uma oportunidade preciosa e única para relançar a pastoral familiar com fervor missionário e criatividade renovados, a partir das indicações que foram dadas pelo Santo Padre na exortação Amoris laetitia, ou seja, com a participação dos esposos, das famílias e dos pastores”.

“Serão vários temas sobre os quais podemos refletir e rezar” avança ainda Monsenhor José Medeiros Constância.

“Este ano termina com um balanço positivo” refere ainda, lembrando que o projecto “tem procurado dar continuidade ao que vinha de trás, isto é, a afirmação de uma pastoral familiar territorial, com as iniciativas Açores 17 (ouvidoria) e Açores 165 (paróquia)”

“ Julgo  que está a crescer a consciência de que a pastoral familiar está nas mãos dos casais e não dos padres e isso é importante para tornar as famílias protagonistas” acrescenta.

“O dia diocesano da família foi uma iniciativa importante, que apesar das dificuldades próprias que decorrem também do facto de sermos Igreja espalhadas por nove ilhas, foi importante”.

Na forja está a criação do Conselho Pastoral da Família, onde terão assento a equipa diocesana, os representantes das ouvidorias- casal e assistente- e todos os movimentos da pastoral familiar, anuncia o responsável.

A missa de dia 26, às 12h00, terá transmissão online aqui no Sítio Igreja Açores e nas redes sociais da Pastoral Familiar.