Iniciativa é promovida pelo Centro Social e Paroquial Nossa Senhora da Oliveira, em Ponta Delgada

Um grupo de 12 mulheres desempregadas ou sem ocupação, todas da Fajã de Cima, em Ponta Delgada, iniciaram esta semana uma formação no âmbito do projeto “Cuida-te”.

Trata-se de uma iniciativa do Centro Social e Paroquial de Nossa Senhora da Oliveira, na freguesia da Fajã de Cima, no âmbito das atividades da valência Centro Apoio familiar e Aconselhamento Parental do Centro Social Paroquial Nª Sª da Oliveira, que pretende devolver “auto estima e sentido de responsabilidade” nestas mulheres, aproveitando e estimulando “ as potencialidades de uma rede de vizinhança”

O projeto “Cuida-te” surge “com a vontade de proporcionar a um público feminino desocupado, com baixa auto estima e valorização pessoal, experiências diferentes e motivadoras de mudanças”, informa uma nota enviada ao Sítio Igreja Açores pelos coordenadores do projeto.

“Este grupo feminino é caraterizado por alguma apatia fruto da fraca auto estima e da baixa valorização o que pode ser alterado se trabalharmos estes aspetos referenciados”, destaca a nota.

O projeto assenta numa metodologia prática, baseada em visitas exploratórias, consideradas “estratégias importantes no desenvolvimento pessoal, cívico e profissional do grupo e dos indivíduos”.

As visitas exploratórias serão realizadas semanalmente, sendo que após cada visita haverá um momento semanal para a construção de um “Guia de Cuidados”.

Este momento semanal assenta em métodos práticos, dinâmicas de grupo, exercícios que possibilitem uma reflexão pessoal e consolidação de conhecimentos e  são centrados no individuo “ enquanto agente promotor da sua própria aprendizagem e com um papel determinante na promoção da sua mudança e desenvolvimento pessoal”.

O trabalhado vai desenrolar-se em dez sessões, até ao próximo dia 19 de março. No final do projeto será realizada uma Sessão Final com a exposição do “Guia de Cuidados”, das atividades realizadas.

“O facto de se sentirem sem perspetivas e desvalorizadas acarreta algumas dificuldades na intervenção com estes grupos”, reconhecem os responsáveis que querem apostar na criação de condições “pessoais e sociais” para que estas mulheres possam “enfrentar o dia a dia sem problemas”.

Para esta iniciativa o Centro Social e Paroquial de Nossa Senhora da Oliveira conta com a participação, apoio e colaboração de várias entidades.