Missa crismal será celebrada a 21 de junho na Sé de Angra

O bispo de Angra vai presidir às celebrações de renovação das promessas sacerdotais  do clero diocesano durante este mês de Junho. A missa crismal, que deveria ter sido celebrada na Semana Santa, na qual os sacerdotes renovam as suas promessas, foi adiada devido ao confinamento e à suspensão das celebrações comunitárias na sequência da pandemia provocada pela Covid 19.

Assim, no dia 21 de junho terá lugar a missa crismal e a celebração das datas jubilares dos sacerdotes, na Sé de Angra, às 18h00, na qual participará o clero da vigararia do Centro, isto é, ilhas Terceira, Graciosa e São Jorge.

No dia 23 de junho, às 11h00, na igreja matriz da Madalena, na ilha do Pico decorrerá a Missa onde serão renovadas as promessas sacerdotais do clero da vigararia do ocidente, que reúne as ilhas do Faial , Pico, Flores e Corvo.

Finalmente, no dia 25 de junho, os sacerdotes da vigararia nascente- ilhas de São Miguel e Santa Maria- são convidados a renovar as suas promessas sacerdotais na igreja Matriz de Ponta Delgada, às 12h00.

“Embora deslocada do tempo próprio”, o bispo de Angra interpela todo o clero a participar neste momento festivo em nome de uma “comunhão com Deus e em presbitério”.

A missa crismal, presidida pelo bispo e concelebrada pelos presbíteros da diocese, é a celebração na qual se consagra o santo crisma (daqui vem o nome de “missa crismal”) e se abençoa também os demais óleos (que serão usados nos enfermos e batismos).

Em geral, esta missa é celebrada na catedral de cada diocese, na Quinta-Feira Santa. Mas, por razões de conveniência pastoral, pode ser adiantada para outro dia da Semana Santa, ou neste caso concreto para outra data por decisão da Santa Sé.

O rito da missa crismal inclui a renovação das promessas sacerdotais. Após a homilia, o bispo convida seus sacerdotes a renovar sua consagração e dedicação a Cristo e à Igreja. Juntos, prometem solenemente unir-se mais a Cristo, ser ministros fiéis dele, ensinar e oferecer o santo sacrifício em seu nome, bem como conduzir outros a Ele.

Portanto, outro tema importante da missa crismal é o sacerdócio. Ao entregar o mistério da Eucaristia à Igreja, Jesus também instituiu o sacerdócio.

Os textos da missa apresentam um conjunto catequético não somente sobre o sacerdócio ministerial, mas também no relativo ao sacerdócio geral dos fiéis. Desde a antífona de entrada, a assembleia aclama que Jesus Cristo nos tornou um reino e nos fez sacerdotes de Deus, seu Pai.

Na missa crismal, não se recita o Credo. Após a renovação das promessas sacerdotais, os óleos são levados em procissão ao altar, onde o bispo pode prepará-los, se já não estiverem prontos. Em último lugar, leva-se o santo crisma, portado por um diácono ou presbítero. Depois dos óleos, são levados o pão, o vinho e a água para a Eucaristia.