Bispo celebra eucaristias de forma descentralizada, mantendo a Missa Crismal na sé de Angra

Os sacerdotes açorianos são convidados a celebrar a renovação das promessas sacerdotais nos próximos dias 29, 30 e 31 de março embora só os da Terceira possam efetivamente participar na Missa Crismal que será às 20h00 na sé de Angra, na quarta-feira da Semana Santa, onde se integra este rito. Embora nesta Missa devessem estar presentes também os sacerdotes das ouvidorias de São Jorge e Terceira, que integram a ouvidoria do centro, dadas as dificuldades de mobilidade num tempo de trabalho como o da páscoa, a que acrescem as dificuldades próprias da pandemia, será difícil que possam participar.

A Missa da Vigararia Nascente decorrerá na Igreja Matriz de São Sebastião, às 12h00 e a da Vigararia do Ocidente na Matriz da Horta, também às 12h00. Apenas a Missa Crismal, na Sé, no dia 31,  será às 20h00.

A Missa Crismal é a última celebração da Semana Santa antes do tríduo pascal. O bispo de Angra já fez saber que presidirá a todas as celebrações na Catedral, a saber: missa vespertina da Ceia do Senhor, no dia 1 de abril; Paixão do Senhor, na Sexta-feira Santa e Vigilia Pascal no sábado, dia alitúrgico.

A Conferência Epsicopal Portuguesa (CEP) anunciou hoje que as celebrações da Semana Santa e da Páscoa devem ser seguidas as orientações da Congregação para o Culto Divino e a Disciplina dos Sacramentos.

Para o Domingo de Ramos é de evitar os ajuntamentos dos fiéis e “de nenhum modo seja permitido a entrega ou a troca de ramos”.

Para a Quinta-feira Santa, na missa vespertina da Ceia do Senhor, a CEP pede para se omitir o lava-pés e, no dia seguinte, o bispo deve introduzir “na oração universal uma intenção ‘pelos doentes, pelos defuntos e pelos doridos que sofreram alguma perda’”. O ato de adoração da Cruz mediante o beijo é limitado ao presidente da celebração,

Por fim, a vigília pascal “poderá ser celebrada em todas as suas partes como previsto pelo rito”.