Ilhas de Santa Maria, São Miguel e Terceira “vestem-se” de festa

A Igreja Católica celebra este sábado a solenidade da Assunção de Maria aos Céus, festa profundamente enraizada na história religiosa e cultural das comunidades portuguesas e que todos os anos chama milhares de emigrantes de volta à Região.

Em três ilhas, particularmente, a festa é vivida com muita intensidade em várias paróquias, porque assinala também o dia da padroeira.

Em Santa Maria, por exemplo, a festa de verão religiosa é sem dúvida a de 15 de agosto, na Igreja Matriz de Vila do Porto e este ano volta a ser presidida por D. António de Sousa Braga.

Em São Miguel esta solenidade é vivida particularmente pelas paróquias de Água de Pau, cuja vila este ano celebra meio milénio de história, Ajuda da Bretanha; Fenais da Ajuda e Fajã de Baixo, que celebram as suas padroeiras.

Também na ilha Terceira há três paróquias que este sábado acolhem a festa da padroeira: Nossa Senhora da Guadalupe, na Agualva; Nossa Senhora das Mercês na Feteira e Nossa Senhora do Pilar, nas Cinco Ribeiras. Na Sé é feita uma celebração ecuménica que contará com a presença de 14 países, com representantes das três religiões monoteístas, pela primeira vez. Também no Faial, a Praia do Almoxarife recebe a festa de Nossa Senhora da Graça Nas Flores e no Corvo a Solenidade assume um cariz importante com a festa de Nossa Senhora dos Milagres.

Todas estas festas recordam a importância de Maria para a Igreja e o modelo cristão que Ela inspira.

Em todas as comunidades, sobretudo aquelas que assinalam o dia da padroeira, há a Eucaristia e a Procissão solenes.

Durante o processo de eliminação de alguns feriados católicos e civis, motivado pela crise económica, o 15 de agosto esteve em cima da mesa como uma das alternativas mais viáveis ao entendimento entre a Igreja Católica e o Governo português. No entanto, essa possibilidade nunca chegou a confirmar-se.

O Papa Francisco não vai cumprir a tradição papal de celebrar a solenidade litúrgica da Assunção de Maria, este sábado, na localidade italiana de Castel Gandolfo mas vai recitar o Angelus na Praça São Pedro.

A Rádio Vaticano assinala que é a primeira vez que um Papa passa o Ferragosto, (do latim: Feriae Augusti) em Roma, desde que o Papa Pio XII deu início ao tradicional encontro dominical com os fieis, em 1954.

Habitualmente a oração mariana do Angelus na Solenidade da Assunção de Maria é rezado na residência de verão em Castel Gandolfo mas o Papa Francisco que este ano fica no Vaticano, vai recitar a oração, como habitualmente aos domingos, da janela do apartamento pontifício para na Praça São Pedro.

Em 2014, por exemplo nesta data o Francisco estava de visita à Coreia e no ano da sua eleição, em 2013, deslocou-se à localidade italiana nos arredores de Roma.

Nesta ocasião visitou o mosteiro de clausura das religiosas Clarissas, durante cerca de 45 minutos, presidiu à Eucaristia na Praça da Liberdade e almoçou em seguida na residência pontifícia antes de visitar em privado a igreja de S. Tomás de Vilanova.

A Assunção de Maria é um dogma solenemente definido pelo Papa Pio XII em 1 de novembro de 1950, segundo o qual Nossa Senhora, no termo da sua vida mortal, foi elevada ao céu em corpo e alma.