É a primeira vez que participam neste programa oferecido pelo Santuário

Jorge Sousa (São Miguel), Mário Jorge (Flores) e André Mota (Faial), três seminaristas do Seminário Episcopal de Angra, participam pela primeira vez e nas próximas duas semanas, numa ação de voluntariado que o Santuário disponibiliza anualmente, entre 16 de julho e 31 de agosto, repartida em três quinzenas a todos os seminaristas que se encontrem em formação em Portugal e que agora estende também a candidatos de outros países de língua oficial portuguesa.

Os seminaristas, cujas idades variam entre 21 e 36 anos, frequentam o Seminário em diferentes anos-  Jorge Sousa, o quarto ano e Mário Jorge e André Mota, o ano propedêutico- e foram acolhidos esta manhã na Cova da Iria, juntamente com mais três seminaristas (Do Porto, Angola e Cabo Verde), e percorreram vários espaços do Santuário tendo-lhes sido explicado o funcionamento do Santuário e as principais tarefas e horários que lhes estarão atribuídos.

“Estou para acolher o que aparecer” referiu ao Igreja Açores Jorge Sousa, natural da Ponta Graça, na ouvidoria de Vila Franca do Campo, o mais velho do grupo que completou o quarto ano. Já André Mota espera tirar ensinamentos desta experiência que tem pela primeira vez “aprendendo com tudo o que aparecer”. Já Mário Jorge, o único seminarista das Flores no Seminário Episcopal de Angra, a ingressar no próximo ano letivo no primeiro ano do sexénio sublinha que abraçou este voluntariado no inicio do verão na expectativa de “acolher peregrinos e procurar um pouco de paz e de oração”.

O programa diário incluiu sempre momentos de oração e de celebração, permitindo igualmente, momentos de confraternização com os sacerdotes que servem habitualmente no Santuário seja como capelães seja como confessores.

O acompanhamento do Itinerário do Peregrino em companhia dos peregrinos, o acolhimento, a prestação de informações e a colaboração com os vigilantes-sacristães, são algumas das tarefas desenvolvidas.