Pelo Pe José Júlio Rocha.

«Compreendei isto: se o dono da casa soubesse a que horas da noite viria o ladrão, estaria vigilante e não deixaria arrombar a sua casa.» (Mateus 24, 43)
Costuma-se dizer que a vida é uma caixinha de surpresas. Um crente deve ter o coração almofadado para o impacto das surpresas más, e o espírito aberto à maravilha das boas surpresas.
Não devemos ter o coração distraído. Deus é uma surpresa todos os dias. Se não estivermos abertos a essa surpresa, nunca entenderemos a linguagem de Deus.