Cristo é o verdadeiro Pastor e o padre deve estar ao seu serviço.

Jesus é o “único Pastor” e toda a igreja é sua colaboradora disse este domingo o Bispo de Angra durante as celebrações na Sé, em que foram ordenados dois diáconos com vista ao sacerdócio e instituídos dois seminaristas do 5º ano nos ministérios laicais de leitor e acólito.

 

“Jesus é o Único Pastor. Nós somos Seus colaboradores, nas várias tarefas que assumimos na Igreja, nomeadamente nos Ministérios Instituídos, no Diaconado, no Presbiterado, no Episcopado. Sempre em nome d’Ele”, disse o prelado diocesano.

 

D. António de Sousa Braga destacou a missão de “serviço” dos padres e de todos os colaboradores da Igreja, rejeitando qualquer apropriação indevida do papel que cabe a cada um.

 

“O Sacerdócio é ministério, é serviço. Jesus é claro a esse respeito, em palavras e também com o exemplo da Sua vida”, disse o responsável pela Igreja católica nos Açores lembrando que o verdadeiro sacerdote é aquele que serve o outro pois “o filho do Homem não veio para ser servido, mas para servir e dar a vida em resgaste por muitos”.

 

Neste domingo do Bom Pastor, a meio da Quinzena Vocacional na Diocese de Angra (que termina a 18 de maio), D. António de Sousa Braga lembrou que o Bom Pastor é o que “zela” pelo seu rebanho, orientando-o com firmeza e ternura, conduzindo-o para “pastagens boas e seguras”.

 

Inspirado no Evangelho, o Bispo de Angra disse que “não se trata, pois, de um relacionamento de domínio, mas de serviço” a que deve estar sujeito todo o apostolado da Igreja, concretamente a pastoral.

 

“O objetivo do nosso ministério será sempre o de levar Cristo às pessoas e ajudar as pessoas a encontrarem Cristo, Caminho, Verdade e Vida”.

 

Depois, deixou uma palavra para os seminaristas que hoje foram instituídos nos ministérios laicais e ordenados diáconos, dizendo-lhes que devem ser fieis ao Evangelho que “têm a missão de proclamar”, “crendo” no que leem, “ensinando “ no que creem e “vivendo” o que ensinam.

 

Aos novos diáconos e aos dois jovens seminaristas instituídos nos ministérios laicais, o Bispo de Angra pediu que fossem “fieis aos seus ministérios”.

 

D. António de Sousa Braga referiu-se, ainda, à visita de São João Paulo II aos Açores, justamente a 11 de maio de 1991 e lembrou que se trata de uma feliz conjugação a celebração deste dia com a ordenação de dois diáconos.

 

Na cerimónia que decorreu na Sé de Angra foram ordenados diáconos os seminaristas do 6º ano, Bruno Espínola e Rúben Pacheco.

 

Bruno André de Melo Espínola, é natural da Guadalupe, na Graciosa, tem 27 anos e Rúben Filipe de Sousa Pacheco, tem 24 anos, é natural de Ponta Delgada e reside na Maia, em São Miguel, concelho da Ribeira Grande.

 

Durante a cerimónia foram igualmente, instituídos  nos ministérios laicais os seminaristas do 5º ano, Gaspar Pimentel  e Pedro Aguiar.

 

Gaspar Moniz Pimentel, tem 22 anos e é natural da freguesia de Achada, concelho de Nordeste, ilha de São Miguel, onde reside. Pedro Miguel Aguiar Cardoso, tem 25 anos e é natural da freguesia de Lajes do Pico.

 

Na missa, que durou cerca de hora e meia,  concelebraram 26 sacerdotes, assistidos  por 2 diáconos (Martins do Carmo e Manuel Castelo), acólitos da Sé e alunos do Seminário. O mestre de cerimónias foi o Pe. Marco Gomes.

 

Os instituídos e ordenados, foram apresentados ao Prelado pelo Reitor
do Seminário.

 

O canto esteve a cargo do Coro e Orquestra da Catedral, dirigido pelo  Pe Duarte Rosa.

No sábado, na véspera das ordenações, foi realizada uma Vigília de Oração pelas Vocações, na Paróquia de S. Pedro da Ribeirinha, ilha Terceira, reunindo grupos de jovens de várias partes da ilha.