Cabido foi reerguido há quatro anos

A Sé de Angra recebe este domingo uma celebração onde se assinala o quarto ano do restabelecimento do Cabido, altura em que foram nomeados novos 13 cónegos de acordo com os novos estatutos do cabido catedralício.

O Cabido da Sé foi restabelecido por D. António de Sousa Braga 15 anos após a sua desativação. Durante esse período o prelado diocesano não nomeou qualquer cónego, tendo promovido uma reformulação dos Estatutos, que permitiu entre outras coisas, a nomeação de cónegos capitulares residentes fora da ilha Terceira.

No novo estatuto o Cabido que, até então tinha apenas a função litúrgica, retomou a função do Conselho de Ordens e Ministérios. É, também, um órgão de consulta do prelado diocesano em todas as matérias que este entender auscultar os seus membros, mantendo-se, no entanto em funções o Colégio de Consultores.

No decreto Episcopal, que retomou o Cabido Catedralício, D. António de Sousa Braga justificou o novo estatuto com uma “necessidade de o adaptar às circunstâncias atuais”, julgando “conveniente restabelecer um número razoável de membros do Cabido” atribuindo-lhes “as funções litúrgicas e demais competências previstas no direito canónico”.