Entre os 13 cónegos capitulares há dois que residem fora da ilha Terceira

Celebra-se no próximo dia 11 de fevereiro a cerimónia de tomada de posse do ofício dos novos Cónegos Capitulares do Cabido da Sé de Angra, que será presidida pelo Bispo de Angra, às 18h00, na Catedral.

Entre  os nomeados estão sacerdotes de outras ilhas, o que constitui a principal novidade que resulta da alteração do estatuto do Cabido Catedralicio, publicada no passado dia 16 de outubro. Até à data só podiam ser nomeados cónegos capitulares, os sacerdotes que residissem na ilha Terceira, embora naturais de outras ilhas.

O anuncio do “restabelecimento” do Cabido da Sé foi feito pelo prelado diocesano no dia 3 de novembro, por ocasião da celebração dos 480 anos da criação da Diocese de Angra, pela Bula Equum Reputammus, assinada pelo Papa Paulo III, a 3 de novembro de 1534.

Entre os nomeados que irão tomar posse do oficio estão o Vigário Geral, Pe Hélder Fonseca Mendes, os vigários judicial e judicial adjunto, padres João Maria Mendes e Hélder Miranda Alexandre; o Padre Ângelo Valadão;  o ecónomo da Diocese, Pe Adriano Borges; o vice reitor do Seminário Episcopal de Angra, Pe Ricardo Henriques; os ouvidores de Ponta Delgada e da ilha Terceira, padres José de Medeiros Constância e António Henrique Pereira; e os reitores dos santuários da Conceição, Pe Dolores, da Serreta, Pe Manuel Carlos Alves e  os pároco de São Pedro(Ponta Delgada), Pe João Maria Brum e de Santa Bárbara (Terceira) Pe. João de Brito. Mantém-se o Cónego Gregório Rocha que era, até à data, o único cónego capitular da Sé de Angra.

Para além dos Cónegos Capitulares, o Bispo de Angra pode, ainda, designar 12 cónegos honorários.

No novo estatuto o Cabido que, até agora tinha apenas a função litúrgica, retoma a função do Conselho de Ordens e Ministérios. Será, também, um órgão de consulta do prelado diocesano em todas as matérias que este entender auscultar os seus membros, mantendo-se, no entanto em funções o Colégio de Consultores. Mas, refira-se o cabido Catedralício, ao contrário do Colégio de Consultores, não será um órgão de consulta obrigatória.

No decreto Episcopal, que retoma o Cabido Catedralicio, D. António de Sousa Braga justifica o novo estatuto com uma “necessidade de o adaptar às circunstâncias atuais”, julgando “conveniente restabelecer um número razoável de membros do Cabido” atribuindo-lhes “as funções litúrgicas e demais competências previstas no direito canónico”.

O novo estatuto vigorará “por um período experimental de 2 anos”, até dia 31 de dezembro de 2016.

A Diocese de Angra tinha atualmente 13 cónegos, 11 dos quais jubilados e um que abandonou o sacerdócio. Cinco foram nomeados por D. Manuel Afonso Carvalho- os padres Francisco Caetano Tomás (Angra) ,  Artur Pacheco Custódio (Ribeira Grande), Gil Vicente Mendonça (Angra), José Lima do Amaral Mendonça, recentemente falecido e o Padre José Garcia, falecido em Ponta Delgada; os restantes por D. Aurélio Granada Escudeiro- os padres António da Luz Silva (Capelas) ,  Augusto Manuel Arruda Cabral (Ponta Delgada), José Gonçalves Gomes (Angra), Jorge Reis (Angra), Gregório Joaquim Couto Rocha (Angra), Laudalino da Câmara Moniz de Sá e José António Piques Garcia, ambos falecidos.

D. António de Sousa Braga durante os 18 anos de episcopado nunca nomeou qualquer cónego. De resto uma das principais funções do Cabido passou para o Colégio de Consultores, criado a 16 de fevereiro de 2000, decorrente de uma orientação do Conselho Presbiteral.

O Cabido da Sé reuniu-se pela última vez a 3 de março de 2000. Todos os cónegos, à exceção de um – Cónego Gregório Rocha, diretor espiritual do Seminário Episcopal de Angra- fizeram o seu pedido de jubilação, que foi aceite pelo prelado.

Recorde-se que o Conselho Presbiteral em 2012, com a visita do Núncio Apostólico, ocupou-se da questão destes dois órgãos colegiais diocesanos, sendo votado maioritariamente que, a coexistirem, continuasse a haver um Colégio de Consultores com as suas competências definidas em estatuto próprio, e um Cabido que vê agora os seus estatutos aprovados, por decreto episcopal, de 16 de outubro.

Esta quarta feira, 11 de fevereiro, dia mundial do doente, o dia será preenchido por várias atividades dos cónegos já nomeados.

Às 9h00  celebra-se uma Eucaristia na Sé, que será presidida por D. António de Sousa Braga, seguindo-se a inauguração da nova Sala Capitular na Sé, e depois a reunião do novo Cabido. Às 18h00 celebra-se a Oração de Vésperas em Coro, com a tomada de posse do oficio dos 12 novos Cónegos.

Os novos cónegos vão, ainda, visitar os cónegos doentes que estão internados na Casa de Saúde de São Rafael, na ilha ilha Terceira.