Ouvidoria quer colocar a família como construtora da Igreja, a começar no ambiente doméstico

A Ouvidoria da Lagoa, em colaboração com o Serviço Diocesano para a Pastoral Familiar e Apostolado de Leigos, organiza esta quinta e sexta feiras, no Salão Paroquial da Igreja de Água de Pau, no concelho da Lagoa, as Mini Jornadas da Pastoral Familiar.

O encontro começa com uma conferência sobre a “Vivência intergeracional em família: as relações interpessoais entre pais e filhos, netos, avós e irmãos” que será proferida por Teresa Medeiros, professora Universitária,  na Universidade dos Açores, no dia 12, às 20h00 e, no dia seguinte, prossegue com um encontro animado pelo diretor do Serviço Diocesano da Pastoral da Familia, Cónego José Medeiros Constãncia sobre “a Família, Igreja Doméstica e Comunidade íntima de amor e de vida”.

A formação, destinada a todas as paróquias da ouvidoria da Lagoa, tem por objetivo “desencadear o protagonismo da família na construção da Igreja a começar no ambiente doméstico”, disse ao Sítio Igreja Açores o responsável da ouvidoria pelas questões da pastoral familiar, Pe João Furtado.

“Na medida em que a família cristã acolhe o Evangelho e amadurece na fé, torna-se comunidade evangelizadora”, diz a nota enviada ao Sítio Igreja Açores pelo sacerdote, lembrando as palavras de São João Paulo II, como Papa.

“A família, como a Igreja deve ser um lugar onde se transmite o Evangelho e de onde o Evangelho irradia. Portanto no interior de uma família consciente desta missão, todos os membros evangelizam e são evangelizados”, conclui a nota.

A formação que será orientada por José Constância já é desenvolvida há algum tempo nesta Ouvidoria, reunindo casais de todas as paróquias, mais ou menos ligados aos movimentos da família na Igreja.

“Trata-se de um momento para refletirmos os desafios desta realidade social tão fundamental para a construção da Igreja”, remata o sacerdote.

Recordo que a família está no centro das atenções do próprio Papa que convocou um sínodo sobre a temática, que se realizará em Roma no próximo mês de Outubro, numa sessão ordinária, depois de no ano passado a Igreja já ter iniciado um processo de consulta.

Neste momento decorre outra auscultação às várias dioceses com vista à preparação final do documento que será levado à Assembleia sinodal deste ano. Trata-se de um documento com 46 questões, que na Diocese de Angra serão trabalhadas pelo Secretariado diocesano do Serviço de Apoio à Pastoral familiar depois de recebidos os contributos de todas as ouvidorias.