D. Manuel Clemente destaca publicação “muito importante” para os crentes

O cardeal-patriarca de Lisboa considera que perante as “muitas circunstâncias negativas na sociedade” se pode esperar “muito” da exortação apostólica pós sinodal, dedicada à família- A Alegria do Amor-, que vai ser publicada esta sexta-feira.

“Acho muito importante o que ela vai trazer para a vida dos crentes. Ainda não a li mas o que ela vai trazer, estando de acordo com toda essa reflexão onde o próprio Papa nos incluiu, não quis fazer um documento sozinho, é encararmos a família, quer na Igreja, quer na sociedade como a base de tudo o mais”, disse D. Manuel Clemente.

O cardeal-patriarca, que amanhã tem agendada uma conferência de imprensa para reagir ao documento do Papa Francisco, considera que tudo quanto seja “reforçar a vinculação familiar”, quer na Igreja, quer na sociedade, é fundamental, por isso, pensa que esse vai ser “o grande contributo” do documento Papal.

“A grande expetativa é saber como haverá a conjugação e o ajustamento entre o todo e os casos particulares”, na medida em que houve uma “ampla e inusitada” auscultação das bases em que todos pudemos dizer o que pensávamos.

“Julgo que a tónica dominante vai ser a necessidade de uma preparação daqueles que pedem o sacramento do matrimónio à igreja e que não pode limitar-se a dois ou três encontros para decidir o cerimonial”, avançou ainda o presidente da Conferência Episcopal Portuguesa, no final dos trabalhos da 189ª Assembleia Plenária da CEP.

O cardeal-patriarca de Lisboa que participou nas duas assembleias sinodais (em 2014 e 2015) sublinhou que hoje vivem-se “muitas circunstâncias negativas na sociedade, dentro e fora da religião”.

“Tem a ver com o isolamento, aquilo que o Papa chama o descarte. Quer dizer há pessoas que são acompanhadas, porque têm família, porque têm quem olhe por elas desde pequeninas desde mais idosas a doentes e há pessoas que já não têm este aconchego, este apoio, este acompanhamento”, contextualiza.

Se para D. Manuel Clemente a situação descrita “é um problema tremendo”, o que dizer das “imensas famílias” que estão às portas da Europa e tendo deixado tudo “não têm nada”.

O Vaticano anunciou que a exortação apostólica do Papa Francisco, com as conclusões do Sínodo da Família, vai ser publicada esta sexta-feira, dia 8 de abril.

Os temas da família estiveram no centro de duas assembleias do Sínodo dos Bispos, em outubro de 2014 e 2015, por decisão do Papa Francisco, antecedidas por inquéritos enviados às dioceses católicas de todo o mundo.

Esta será a segunda exortação apostólica do atual pontificado, seguindo-se à ‘ ‘Evangelii Gaudium’, “A Alegria do Evangelho”.