Grupo participará pela primeira vez na peregrinação nacional da comunidade surda que este ano terá a possibilidade de experimentar um momento de reconciliação comunitária

Realiza-se este domingo, no Santuário de Fátima, a quarta peregrinação da comunidade surda em Portugal, que pela primeira vez é convidada para um momento de Reconciliação Comunitária.

Esta é uma peregrinação nacional promovida pelo Santuário de Fátima, em conjunto com o Grupo de Intérpretes de Língua Gestual Portuguesa do Santuário, e conta com a colaboração das Irmãs da Aliança de Santa Maria.

Participam nesta peregrinação vários grupos organizados de vários pontos do país incluindo, pela primeira vez, as regiões Autónomas nomeadamente os Açores com um grupo de 5 pessoas surdas de Ponta Delgada (2) e da Lagoa(3), na ilha de São Miguel, onde a paróquia de Santa Cruz oferece aos domingos a missa com interpretação em Língua Gestual Portuguesa.

A participação de elementos da comunidade surda açoriana é uma iniciativa que se insere no projeto DIANA, Serviço de Apoio a Pessoas Surdas, que tem como objetivo a inserção dos surdos na vida pastoral da Igreja Católica.

De acordo com uma nota enviada ao sítio Igreja Açores o grupo integra ainda dois interpretes de Língua Gestual Portuguesa bem como familiares das cinco pessoas surdas.

O programa tem início às 10:00 com a receção aos peregrinos, junto à Cruz Alta pelo capelão Pe. José Nuno Silva, diretor do Departamento da Pastoral da Mensagem de Fátima. Os peregrinos seguem depois para a Capela da Ressurreição de Jesus onde participarão num momento de catequese sobre o acontecimento e a mensagem de Fátima orientado pelas Irmãs da Aliança de Santa Maria. Às 12h15 haverá uma Reconciliação Comunitária e às 13h00 um almoço partilhado. Às 14:30 será feito um momento de oração, na Capelinha das Aparições, seguido da Missa às 15h00, na Basílica da Santíssima Trindade. Às 16:30 será proporcionada uma visita à Exposição Temporária “As Cores do Sol”, orientada pelo Museu do Santuário de Fátima.

A primeira peregrinação da comunidade surda ocorreu em setembro de 2015 e contou com cerca de três dezenas de surdos que participaram em várias iniciativas propostas. Esta primeira peregrinação realizou-se dois anos depois do Santuário ter começado a oferecer uma Missa semanal com interpretação em Língua Gestual, como forma integrar e proporcionar as melhores condições àqueles que têm necessidades especiais.