Peregrinação Nacional de Crianças ao Santuário de Fátima foi presidida pelo Bispo Auxiliar de Braga O Bispo Auxiliar de Braga apelou hoje ao fim da violência contra as crianças e a uma maior atenção às famílias desestruturadas, durante a principal Eucaristia da Peregrinação Nacional das Crianças, organizada anualmente pelo Movimento da Mensagem de Fátima.

Milhares de crianças, entre elas 20 açorianas (13 de Rabo de Peixe, São Miguel; seis das Fontinhas e uma da Ribeirinha, na ilha Terceira) acompanhadas por familiares, catequistas e professores participaram nesta missa campal.

Os “peregrinos” açorianos, com idades compreendidas entre os 10 e os 12 anos estão acompanhados de dois elementos do Secretariado Diocesano do Movimento da Mensagem de Fátima, duas catequistas e do assistente diocesano do Movimento, Pe Júlio Rocha.

Durante a homília, D. Francisco Senra Coelho sublinhou a importância das Crianças- “as flores de Portugal”- e pediu mais atenção na defesa dos seus direitos e da sua proteção, sobretudo num momento conturbado de crise como o país atravessa.

O bispo auxiliar Braga pediu ainda às crianças que “nunca pactuassem com o “bullying” nas escolas.

“Nas escolas, na família ou nos vizinhos não devemos pactuar com a violência. É preciso que todos sejamos construtores da paz” disse o prelado sublinhando o papel da oração, seguindo o pedido que Nossa Senhora fez aos pastorinhos na aparição de agosto, nos Valinhos.

A edição 2015 da peregrinação convida os mais novos à oração e recorda o desafio deixado por Nossa Senhora aos pastorinhos Francisco, Jacinta e Lúcia: “rezai, rezai muito e fazei sacrifícios… porque vão muitas almas para o inferno por não haver quem se sacrifique e peça por elas”.

Com esta temática, o Santuário quer despertar as crianças de hoje para a importância que continua a ter “interceder junto de Deus a favor de outros”.

“Algo que as crianças poderão perceber a partir da experiência da intercessão da mãe junto do pai: quando querem qualquer coisa do pai, muitas vezes dizem à mãe para pedir ao pai o que elas desejam”, refere a organização.

Durante a celebração eucarística havia no altar uma enorme flor que foi murchando mas que no decurso da cerimónia foi novamente “medrando”, uma metáfora para os dias de hoje em que as crianças são convidadas através da oração a manter viva a chama da fé.

O programa do evento incluiu esta quarta-feira,  uma encenação denominada “Aprender a rezar com os pastorinhos”, que foi repetida esta tarde.

Entre outras atividades, os participantes tiveram  também ocasião de visitar os locais das aparições do Anjo de Fátima, na Loca do Cabeço e em Aljustrel; e oferecer flores a Nossa Senhora, na Capelinha das Aparições.

A peregrinação nacional das crianças é hoje uma das atividades mais importantes do Santuário de Fátima, apenas suplantada pelas peregrinações internacionais de maio e outubro. Progressivamente, a iniciativa tem juntado não só participantes dos mais diversos pontos do país mas também grupos de crianças vindas do estrangeiro.