Ilhas açorianas em festa juntam jovens pela primeira vez depois da pandemia

No próximo domingo, Solenidade de Cristo Rei, os jovens açorianos vão viver, em comunhão com toda a Igreja, o Dia Mundial da Juventude. É a primeira vez que este dia, conhecido como o Dia Mundial da Juventude, é celebrado nesta data, por decisão do Papa Francisco.

Na mensagem para este dia, feita a partir de um versículo dos Atos dos Apóstolos – “Levanta-te e torna-te testemunho do que viste”, o Papa Francisco desafia os jovens a sair em missão e o Serviço Diocesano da pastoral juvenil da diocese de Angra apela aos jovens para “desconfinarem a fé”, ultrapassando os problemas.

De Santa Maria ao Corvo, diversas iniciativas e celebrações marcarão o dia, proporcionando a todos momentos de reflexão sobre a Palavra de Deus, atividades e jogos, que se traduzirão num convívio entre os jovens.

Na ilha Terceira a celebração começa em São Mateus, na Vigília, a 20 de novembro, a partir das 19h30 e prossegue no domingo, na Fonte Bastardo,  a partir das 10h00 e depois na Missa dominical às 12h15, na Igreja paroquial. Teatro, musica e atividades a envolver também a comunidade, marcarão este dia organizado localmente pelo Grupo de Jovens Caminhantes.

“Este dia está marcado pelo reencontro; é um momento de festa para reanimarmos os jovens e retomarmos amizades”, afirmou ao Igreja Açores o responsável pela pastoral juvenil da ilha, padre Hélder Miranda Alexandre.

As atividades no domingo começam às 10h00, com uma procissão até à igreja, durante a qual os jovens transportarão a Cruz, concebida antes da pandemia e que é o símbolo maior da Jornada Mundial da Juventude. Esta Cruz tem estado a percorrer as várias paróquias da ilha e representa o envolvimento dos vários grupos de jovens na preparação da Jornada Mundial da Juventude de Lisboa, que decorrerá entre 1 e 6 de agosto de 2023.

As atividades na Terceira envolverão além dos 18 grupos de jovens, ativos na ilha, a comunidade pastoral da Fonte Bastardo, com a participação prevista de alguns grupos locais como o Grupo de Reis ou a catequese envolvida no projecto Say Yes.

Na ilha do Pico, as celebrações concentram-se na freguesia da Candelária, a partir das 14h30 de domingo.

Além da Eucaristia, celebração transversal a todos os programas nas diferentes ilhas, os jovens picoenses são convidados a participar num Rallye Paper, construído tematicamente a partir da mensagem do papa Francisco para este dia, a interpretação do hino oficial da JMJ de Lisboa e várias representações.

“Estamos a começar, com uma equipa nova e a tentar criar uma dinâmica de juventude, sempre neste sentido de que o grande objectivo é preparar todos os jovens do Pico para uma participação na Jornada Mundial da Juventude”, referiu ao Igreja Açores o padre João da Ponte.

No Faial às 18h00, é celebrada uma Missa Solene na Igreja do Carmo, com o rito de nomeação dos novos Ministros Extraordinários da Comunhão, animada pela Pastoral Juvenil do Faial. Além da Eucaristia e do momento de Adoração, o ponto alto será o hastear de uma bandeira da Jornada Mundial da Juventude de Lisboa, com a assinatura de todos os jovens que participam neste Dia Mundial da Juventude na Horta na Torre da Igreja do Carmo, que é uma das Igrejas JMJ nos Açores.

Embora a ilha tenha  poucos jovens mobilizados na pastoral juvenil, o novo responsável, padre Aurélio Sousa, salienta que “há disponibilidade” dos jovens ” para primeiro perceberem como são estas actividades e depois aderirem”.

“A realidade é dificil mas estamos a notar que muitos querem experimentar as nossas atividades para depois aderirem” refere o sacerdote, encarando com optimismo esta “receptividade”.

“Vamos indo com calma, com as dificuldades próprias deste tempo” salienta, ainda.

Em São Miguel, a Jornada será vivida na freguesia de Santa Cruz da Lagoa, a partir das 15h00, onde diversas actividades serão proporcionadas aos jovens, entre elas um concerto orante. A festa da juventude católica em São Miguel termina com uma eucaristia em Santa Cruz às 18h30.

O Dia Mundial da Juventude é assinalado no Domingo de Cristo Rei, por determinação do Papa Francisco, e a generalidade das dioceses católicas portuguesas preparou programas para este dia, fazendo-o coincidir com os dias diocesanos em cada uma delas.