Cónego Jacinto Bento pede às comunidades paroquiais da diocese para se unirem em oração à 49ª Semana Nacional dos Migrantes, que decorre entre hoje e o próximo domingo, dia 15 de agosto

A 49ª Semana Nacional dos Migrantes, que se assinala entre hoje e domingo, ainda com muitas restrições impostas a uma vivência presencial em Fátima, como é habitual, e o diretor do Serviço Diocesano para a Mobilidade Humana apela à comunhão em oração, pedindo que todos contribuam para uma melhor integração dos migrantes nos Açores.

“Estaremos unidos pelo coração e acompanharemos a Peregrinação Nacional pelos meios de comunicação social” refere em declarações ao Igreja Açores o cónego Jacinto Bento.

“A mensagem que deixo aos migrantes que residem nos Açores e aos emigrantes que não podem participar neste tempo de pandemia é que cada um de nós, que reside nesta região, as famílias, as comunidades, a Igreja, a sociedade, as instituições políticas e governamentais se tornem cada vez mais inclusivos”, esclarece o sacerdote, que é cónego no Patriarcado Latino de Jerusalém e pároco em São Pedro, Angra do Heroísmo.

Lembrando a mensagem do Papa Francisco para o 107º Dia do migrante e do refugiado, que se assinalará a 26 de setembro, e de que esta Semana Nacional em Portugal é uma espécie de “pórtico” para refletir sobre a condição e a situação dos migrantes em Portugal e no mundo, o cónego Jacinto Bento sublinha que “estamos todos no mesmo barco e somos chamados a empenhar-nos para que não existam mais muros que nos separem, nem existam mais os outros, mas só um nós, do tamanho da humanidade inteira e que deixem de existir periferias existenciais para os estrangeiros, os emigrantes, os marginalizados”.

De acordo com a Associação de Imigrantes dos Açores (AIPA) no arquipélago, em entre 2019 e 2020, legalizaram-se 4,9% dos migrantes residentes e 500 apresentaram manifestações de interesse e por isso aguardam legalização através de plataforma própria. Nesse período existiam 4090 migrantes residentes, de 97 nacionalidades, sendo 802 brasileiros, 501 alemães, 343 chineses, 289 dos Estados Unidos, 283 do Reino Unido.

Noutra frente, o  Serviço Diocesano que continua a trabalhar de forma próxima com a Associação Amigos da Terra Santa dos Açores, “não obstante a situação que estamos a viver”, tem continuado a angariar fundos para enviar aos cristãos da Igreja Mãe de Jerusalém, “que estão a passar privações”. O último donativo foi enviado a 23 de março de 2021, no valor de três mil euros. A última peregrinação organizada à terra Santa decorreu entre 29 de janeiro e 5 de fevereiro de 2020, mesmo antes do `encerramento´ generalizado das fronteiras entre os vários países devido à pandemia.

O sacerdote, encontra-se, também, a concluir um livro intitulado “Subida a Jerusalém – Peregrinações e Diários”, prefaciado pelo Bispo William Shomali, Bispo Auxiliar e Vigário-geral e Patriarcal para Jerusalém e Palestina, com testemunhos de peregrinos, onde conta as 28 peregrinações à Terra Santa, 4 à Itália, 6 a Santuários Marianos e 7 viagens particulares a Jerusalém, que organizou.

A 49ª Semana Nacional das Migrações, intitulada “Rumo a um nós cada vez maior”, tema da mensagem do Papa para o Dia Internacional do Migrante e do Refugiado, decorre de acordo com a metodologia dos 4 R´s: Rostos – quem são as pessoas que atendemos? Rotas – de onde vêm? Raízes – porque vêm? Recursos – que instituições estão envolvidas no acolhimento, proteção e promoção e inclusão dos que chegam, dos que partem e dos que regressam.

O Coração desta semana é a Peregrinação de 12 e 13 de agosto, que decorrerá com as condicionantes conhecidas, e pelo segundo ano consecutivo não haverá vigília noturna.

“É tempo de reconstruir a partir de um tempo forte de Espiritualidade como aquele nos oferece este Santuário altar do mundo, onde sentimos que temos mãe a quem confiar as nossas angústias, chorar as nossas mágoas, retemperar as nossas energias, renovar a nossa esperança” refere a Presidente da Obra Católica Portuguesa das Migrações (OCPM), Eugénia Quaresma, numa mensagem dirigida a todos os organismos da Igreja Católica, no contexto desta Semana Nacional.

As cerimónias em Fátima serão presididas pelo Cardeal Jean-Claude Höllerich, do Grão Ducado do Luxemburgo e Presidente da COMECE (Comissão das Conferências Episcopais da União Europeia).

“É tempo de reconstruir a partir de um tempo forte de Espiritualidade como aquele nos oferece este Santuário altar do mundo, onde sentimos que temos mãe a quem confiar as nossas angústias, chorar as nossas mágoas, retemperar as nossas energias, renovar a nossa esperança” esclarece ainda a organização da OCPM.