Sector Oriental dos Açores assinala inicio das comemorações dos 50 anos de existência com retiro espiritual envolvendo 26 casais

As Equipas de Nossa Senhora (ENS) estão apostadas em “renovar” o compromisso de serem “discípulas” na evangelização das periferias, disse ao Sítio Igreja Açores o casal responsável pelo movimento no Sector Oriental dos Açores (São Miguel e Santa Maria), Fernando e Ana Cabral.

O Movimento está a comemorar, em 2015,  50 anos de presença em São Miguel e Santa Maria e por isso conta com uma programação diferente e “mais ativa centrada no jubileu”.

No final do seu retiro anual, “um dos pontos concretos de esforço do movimento”, que decorreu em Ponta Delgada este primeiro fim de semana da Quaresma, no qual participaram 26 casais orientados pelo Pe Marco Gomes, Ana Cabral disse ao Sítio Igreja Açores que “estas 52 pessoas encontraram aqui um revigoramento para enfrentar as tarefas futuras e carregaram baterias” e depois destes dois dias “estarão mais preparadas para ir ao encontro das periferias a partir do evangelho da família”.

Este ano o tema do retiro foi “A criação, a des-criação e uma possível recriação” enquanto pessoas e igreja, tendo a família sempre em mira.

Partiram de três documentos orientadores- a exortação apostólica do Papa A alegria do Evangelho, as orientações diocesanas de pastoral e os guiões das equipas- para debater “a criação como projecto de Deus, que criou um reino belo e bom, que nós no dia a dia nos encarregamos de desconstruir e, como estamos na Quaresma, tempo de preparação para a Páscoa e para a reconversão, temos todos os instrumentos para operar essa reconstrução”, sublinhou ao Sítio Igreja Açores o Pe Marco Gomes.

“Estes retiros servem, sobretudo, para refletirmos e lermos os sinais dos tempos, a partir do nosso mundo para encontrarmos respostas concretas para problemas concretos”, disse o sacerdote que fez a abordagem a esta temática a partir das 15 doenças identificadas pelo Papa Francisco num discurso dirigido aos cardeias, na véspera de Natal.

“As 15 doenças de que o Papa Francisco fala são as nossas doenças, as doenças dos nossos dias e por isso é bom que reflitamos sobre elas porque as próprias famílias, que vivem momentos difíceis têm de ser capazes de tratar das suas feridas”, destacou ainda o sacerdote.

Durante a Eucaristia de encerramento do retiro, o pároco da Fajã de Cima, em Ponta Delgada, que é também conselheiro de uma das nove equipas existentes em São Miguel, lembrou a exemplo de Jesus que foi empurrado para o deserto e durante 40 dias foi tentado de diversas formas, também os cristãos devem estar atentos às forças que os afastam do bem.

“Os lobies económicos, os interesses partidários, os gurus espirituais que fazem terrorismo psicológico andam aí. Essas são as forças do mal que engrossam as 15 doenças que nos transformam em animais selvagens”, disse o sacerdote sublinhando que do outro lado estão os anjos “que não são seres alados mas aqueles que no percurso do nosso deserto nos trazem a sua presença, ajudando-nos”.

“Qualquer um de nós pode ser anjo e mensageiro; a diferença do mal e do bem é como uma gota de água. Cabe a cada um de nós decidir qual quer ser para ajudar na recriação do mundo”.

Também o conselheiro espiritual a nível de ilha, Pe Fernando Teixeira, destacou a importância das ENS darem o seu testemunho, “implicando a família, recriando-a e ajudando-a a converter-se”.

“É necessário que depois deste retiro possamos renovar o nosso compromisso de trabalhar na nossa e na conversão de outras famílias senão seremos como São Paulo disse servos inúteis”.

As Equipas de Nossa Senhora são um movimento de espiritualidade conjugal cujo objetivo é ajudar os casais a viver plenamente o seu sacramento do Matrimónio, anunciando ao mundo os valores do casamento cristão pela palavra e pelo testemunho de vida, desempenhando o papel de escola de formação para casais cristãos unidos pelo sacramento do Matrimónio.

Apesar de não ser um movimento mariano, as ENS recebem o nome de Maria, colocando-se sob sua proteção.

As equipas são constituídas por um número indicativo de 5 a 7 casais e um sacerdote, designado Conselheiro Espiritual. Reúnem-se mensalmente num encontro de oração, partilha e estudo de um tema de formação cristã, para se entreajudarem numa caminhada com Cristo.

O movimento das Equipas de Nossa Senhora está espalhado pelo mundo inteiro. Em Portugal o movimento existe há mais de 50 anos e encontra-se espalhado pelo continente, pelas ilhas (Madeira e Açores), África do Sul e África lusófona (Angola, Moçambique, Cabo Verde e S.Tomé e Príncipe). Em Janeiro de 2009 existiam 1.119 equipas totalizando 13.499 membros, 6.276 casais, 237 viúvos e 710 Conselheiros Espirituais.

As ENS chegaram à diocese de Angra há 50 anos primeiro a São Miguel onde existem nove Equipas e embora tenham chegado um pouco mais tarde à ilha terceira é aí que o Movimento tem maior dinamismo com 23 equipas.